Vacinação contra pólio e sarampo atinge apenas 40% da meta

(foto: reprodução)

O Ministério da Saúde promove uma campanha para vacinar contra pólio e sarampo 11 milhões de crianças menores de cincos anos até o dia 31 de agosto. No sábado (18), unidades de saúde de todo o país fizeram o Dia D da Campanha Nacional de Vacinação e, até o momento, 40% das crianças foram vacinadas.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, mais de 9 milhões de doses das vacinas contra a pólio foram aplicadas em crianças de todo o país. Contra o sarampo, foram 4,5 milhões, o que corresponde a cerca de 40% do público-alvo para cada uma das vacinas.

A expectativa para o Dia D era a de fechar o sábado com, ao menos, 60% das crianças vacinas. A campanha vale mesmo para aquelas crianças que estão em dia com a vacinação.

Para a poliomielite, as crianças que ainda não tomaram nenhuma dose da vacina vão receber a Vacina Inativada Poliomielite (VIP). As crianças que já tiverem tomado uma ou mais doses receberão a gotinha (Vacina Oral Poliomielite — VOP).

Em relação ao sarampo, todas as crianças devem receber uma dose da vacina tríplice viral, independentemente da situação vacinal. A exceção é para as que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias, que não necessitam de uma nova dose.

Surtos

Atualmente, o país enfrenta dois surtos de sarampo, em Roraima e Amazonas. Até o dia 14 de agosto, foram confirmados 910 casos de sarampo no Amazonas e 5.630 permanecem em investigação. Já em Roraima, foram 296 casos confirmados e 101 continuam em investigação.

Os surtos estão relacionados à importação, já que o genótipo do vírus (D8) que está circulando no país é o mesmo que circula na Venezuela, país que enfrenta um surto da doença desde 2017.

Casos isolados, relacionados à importação, foram identificados em São Paulo (1), Rio de Janeiro (14); Rio Grande do Sul (13); Rondônia (1) e Pará (2). As medidas de bloqueio de vacinação, mesmo em casos suspeitos, estão sendo realizadas em todos os estados. Até o momento, foram confirmados seis óbitos por sarampo, quatro em Roraima (três em estrangeiros e um em brasileiro) e dois no Amazonas (brasileiros).

R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.