Carrinheiros e carregadores do Mercado do Produtor de Juazeiro realizam nova manifestação nas ruas da cidade

(foto: Tarcilla Félix)

Mesmo após a Autarquia Municipal de Abastecimento (AMA) de Juazeiro, norte da Bahia, anunciar redução de 72% na taxa que dá acesso ao Mercado do Produtor, carrinheiros e carregadores realizaram uma manifestação pelas ruas da cidade na manhã desta quinta-feira (18). O ato teve concentração às 2h da madrugada, em frente ao portão principal do entreposto comercial.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores na Agricultura Familiar e Empreendedores Rurais, além de serem contra a cobrança da taxa de R$ 50 para a entrada no Ceasa, a categoria reivindica também cobram melhorias na infraestrutura do mercado, como iluminação, sinalização e revitalização da entrada do mercado e proximidades.

A manifestação desta quinta-feira foi encerrada em frente ao Paço Municipal, sede do governo. Esta foi a terceira manifestação realizada pelos profissionais em menos de um mês. Na semana passada, os profissionais se reuniram com representantes da AMA, mas não houve acordo entre as partes. A primeira ocorreu em 25 de junho.

Avanços

Ontem (17), após o anúncio da manifestação, a AMA informou em nota que a taxa será reduzida em 72%, ou seja, até dezembro, os profissionais terão que pagar o valor de R$20 para trabalharem no mercado. Segundo a autarquia, a partir de 2020 será cobrado o valor de R$ 30.

A redução foi definida durante uma reunião entre representantes da AMA e a com a Federação das Associações e Associação dos Carrinheiros, Carregadores e Ambulantes do Mercado do Produtor de Juazeiro (ACCAMP). Ficou definida a liberação de um espaço físico para a sede da ACCAMP, regulamentação do volume de carga, retirada das tachões (tartarugas) e a implantação do Bebedouro.

A AMA informou também que mais de 700 profissionais já se regularizaram no 4º maior entreposto em volume e comercialização do país, e o objetivo dessa ação é garantir a segurança e melhorar o fluxo e ordenamento do Ceasa de Juazeiro.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.