HU da Univasf inicia implantação de projeto para agilizar atendimentos na emergência

O Hospital Universitário da Universidade Federal do Vale do São Francisco (HU-Univasf), em Petrolina, no Pernambuco, iniciou o processo de implementação de um projeto que o propósito de otimizar e dar maior resolutividade aos atendimentos emergenciais. A execução da metodologia é mais uma iniciativa da unidade para tentar controlar e amenizar os efeitos da superlotação. Durante o mês de julho, o hospital registrou uma média de ocupação de 168%.

O projeto Lean nas Emergências é uma filosofia de gestão voltada para o aperfeiçoamento de processos baseada em tempo e valor, desenhada para assegurar fluxos contínuos e eliminar desperdícios e atividades de baixo valor agregado, aumentando a eficiência. O projeto foi instalado em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, de São Paulo.

A equipe da unidade paulista esteve reunida com profissionais de diversas áreas do HU entre os dias 31 de julho e 1º de agosto. Esse foi o segundo dos 12 encontros que acontecerão nos próximos meses. Na ocasião, foram apresentados as características e objetivos da ferramenta e o resultado de uma análise realizada no setor de Emergência e Urgência do HU.

Segundo o médico consultor do Hospital Sírio-Libanês que faz parte da equipe do projeto Lean nas Emergências, Raimundo Nonato Filho, o foco do trabalho é o reconhecimento do paciente que tem condições de ser liberado da instituição. “O HU-Univasf está bem dentro de um padrão de superlotação que acontece no país. A emergência é um setor de passagem e precisamos reduzir o tempo de permanência dos pacientes. Vamos trazer algumas ferramentas para estimular a comunicação e identificar quais são os pontos que estão dificultando a saída de pacientes”, comentou.

O Hospital Sírio-Libanês vem utilizando a metodologia desde o ano de 2018, para reduzir a superlotação em urgências e emergências de hospitais públicos e filantrópicos de todo o país.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.