Servidores da Saúde participam de oficina dentro da programação do Setembro Amarelo

 

A Secretaria Municipal da Saúde/SESAU em parceria com a Secretaria de Gestão Pública de Juazeiro/SEGESP deu início nesta segunda-feira, 09, a programação de ações de prevenção ao suicídio com a Oficina de Valorização da Vida. O objetivo de preparar os profissionais da rede de saúde do município a identificar os sinais nas pessoas propensas a tirar a própria vida. A ação faz parte do Setembro Amarelo, mês mundial de prevenção do suicídio.

Para a Psicóloga do Núcleo de Segurança da Saúde do Trabalhador/NUSSAT Karintia Abrantes “o evento de hoje corresponde a uma das ações do mês de setembro, reservado a propagar informações sobre o suicídio como problema social e de saúde pública, que necessita ser compreendido, falado e discutido junto com todos os fatores e sinais, bem como a forma de prestar ajuda. Sabemos que 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados se fosse oferecida ajuda adequada. É muito importante que todos estejam nessa luta pela vida”, esclareceu.

Para a servidora municipal Ozana Dantas, que participou das dinâmicas e palestras, a oficina de Valorização da Vida é “uma atividade muito rica em conhecimentos, que servirá para o trabalho do servidor em seu dia a dia. Espero que aconteça mais vezes.”

Quem também aprovou a iniciativa foi a Agente Comunitária de Saúde do posto de saúde da Malhada da Areia Irenilde Benevides. “Nosso encontro foi maravilhoso porque nos trouxe conhecimento, para aprendermos a lidar com diversas situações. Não podemos nem devemos julgar a pessoa que está doente, devemos ouvir e encaminhá-la à unidade de saúde competente sempre nos colocando à disposição para ajudar no que for possível”, afirmou.

Para a Gerente de Humanização da SESAU, Jussara Rêgo, é importante falar sobre o suicídio. Ela, que também é Assistente Social e uma das facilitadoras do evento, explica que sem conhecimento as pessoas fazem pré-julgamentos, o que não contribui para que a vítima saia da situação em que se encontra. “Nossa oficina tem como objetivo chamar atenção dos profissionais para se capacitarem e poderem ajudar outras as pessoas. É através do conhecimento que despertamos em cada um os sinais de que quem está sofrendo, está pedindo ajuda”, finalizou.

 

Ascom

1 comentário

  • Otaviano Alves Cajui(CD) disse:

    Bem venturados aqueles que fazem da luta uma profissão de fé.
    Apelo a todo e qualquer exercício para preservar a minha lucidez por mais tempo,não me deixando cair no vaticínio que atribuem ao peso da idade, a condição necessária e suficiente para a turvação do espírito na melhor idade,desde quando não se cultive bons hábito de questionar,, o que se passa ao seu redor, deixando a zona de conforto e engajando em causas nobres, como esta que estamos a vivenciar, levando a sua força, mão amiga e palavra de conforto, como antídoto para barrar este problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.