Educadora acusa vice-prefeito de Sobradinho de agressão contra adolescentes

A educadora Francineide Leoniza de Araújo Silva, moradora da cidade de Sobradinho, norte da Bahia, utilizou sua página no Facebook para denunciar uma ação de violência contra adolescentes, que teria sido praticada pelo comerciante e vice-prefeito do município, Paulo Lima, e mais dois homens, na noite da última quarta-feira(18).

A ação teria sido motivada por uma acusação de roubo à farmácia do vice-gestor, ocorrido na mesma noite do fato narrado. Francineide, tia dos adolescentes de 13, 15 e 17 anos, afirma que dois dos jovens foram surpreendidos com a chegada dos três homens em um veículo. Segundo o relato dos menores, um deles ordenou, em tom ameaçador, que eles entrassem na residência. O outro garoto, de 13 anos, estava dentro de casa, assistindo TV, como narrou a tia.

“Sou tia dos três menores que contam que a partir daquele momento, os três homens, conhecidos como sendo, o Sr. Paulo Lima, o Sr. José Lima e o Sr. Emílio da SAEE, conhecido também por Mila, ambos da família do Paulo Lima, invadiram a residência de uma cidadão, pai de família e trabalhador, o Sr. Edilson Francisco de Araújo, quando seus três filhos menores, indefesos estavam sozinhos em casa, e agrediram os menores. Foi um crime de invasão, violência, calúnia, coação e tortura, contra os três menores. Não há justificativa, para as injustificáveis ações criminosas abusivas e absurdas, praticadas contra as crianças que viveram momentos aterrorizantes”, relatou a familiar.

Ainda de acordo com a tia das vítimas, os 3 homens permaneceram por cerca de 30 minutos a uma hora no interior da residência agredindo os adolescentes.

“Vale salientar que Paulo Lima chefiava a ação, pois segundo relato das crianças, o mesmo ficou o tempo todo posicionado na entrada da porta para assistir as sessões de violência e tortura praticadas pelo seus ‘jagunços’, impedindo que os menores de 15 e 17 anos, fugissem para pedir socorro aos vizinhos e inúmeras vezes imploraram para que os deixasse chamar sua mãe, que se encontrava uma rua depois, mas todas as vezes que tentaram sair, foram empurrados, ameaçados e impedidos agressivamente de chegarem até a porta, pelo Sr. Paulo Lima”, contou.

Segundo Francineide, o adolescente de 13 anos contou ainda que em um determinado momento, “teve seus braços colocados para trás e seus testículos foram puxados, machucados com o propósito de provocar dor”.

“Queriam obrigá-los a confessar um roubo, um delito que não havia cometido, por conta de uma suspeita infundada de um roubo ocorrido naquela noite. Mesmo dizendo que não haviam pego, as agressões continuaram. Meu sobrinho de 13 anos relatou ainda que Sr. José Lima juntamente com o Sr. Emílio, o agrediam e gritavam, o tempo todo chamando-o de Neguinho, ordenando que desse conta de cinco celulares e de uma quantia de mil reais”, disse.

A tia acrescenta que as agressões acabaram após a intervenção de uma vizinha, que chegou na residência e testemunhou a cena de violência.

“Achando estranhos tantos gritos e barulho, (ela) resolveu ir até a casa e chegando lá se deparou com as cenas absurdas de agressões, ao menor de 13 anos, onde o Sr.Paulo Lima, era expectador e coordenador das ações violentas, atravessado na porta, além da tamanha maldade em obrigar, os irmãos a assistirem e se manterem calados, quietos, sem poder fazer nada para defender seu irmão mais novo que gritava e chorava de dor e medo pelas agressões físicas e psicológicas, dadas as ameaças em levá-los de carro para um certo lugar, caso os objetos não aparecessem”.

Ainda de acordo com Francineide, os pais foram avisados do que ocorria e chegando na residência ainda encontraram os acusados. A família prestou queixa na delegacia da Polícia Civil e pede providência para o caso.

“Não consigo encontrar palavras ou adjetivos para definir, classificar, ou ainda como devo me dirigir de forma correta, justa e clara sem ofendê-los, pois são todos homens de bem. Nada pode apagar uma ferida como essa, na vida de uma criança, de uma família. Hoje, 25, fazendo oito dias do ocorrido, e várias são as consequências na vida da família de meu irmão. As crianças estão assustadas, desde então, nem para a escola estão indo por medo, além de dificuldade para dormir. A mãe se encontra internada diagnosticada com um quadro de AVC. É bem triste. Nos sentimos impotentes diante de tamanha crueldade, injustiça e desumanidade”, finalizou Francineide.

O PNB entrou em contato com Paulo Lima, que negou as acusações e afirmou que na noite do dia 18 estava na celebração do Terço dos Homens, na igreja da cidade.

Da Redação

5 Comentários

  • Beatriz disse:

    E mentira de Paulo Lima a minha mãe que foi lá ajuda os meninos e mentira deleeee

  • And disse:

    Um assunto desse, com tantas formas de divulgação, deveria ir pra noticiários a nível nacional, o Brasil precisa se libertar do verdadeiro coronelismo ainda existente por esses interiores brasileiros.

    Sugiro a família buscar o ministério público em Juazeiro, a mídia policial em Salvador e até enviar msg pra programas jornalístico em São Paulo, inclusive procurar os direitos humanos e conselho tutelar, mas tudo fora de Sobradinho, pois sabemos como funciona quando quem tá do outro lado que tem dinheiro, status, influência, etc.

  • Shayane disse:

    É mentira dele eu estava lá e muitas outras pessoas viram ele lá no momento que ele e os comparsas dele estavam batendo nos meninos.Queremos Justiças Pois a justiça de Deus não falha

  • Ariosvaldo Lins de Araujo disse:

    Isto é gravíssimo tem quer ser apurado Paulo e um homem público candidato a candidato a Prefeito isto tem que ser esclarecido.

  • Naiane disse:

    Absurdo o que ele com essas crianças ! A justiça tem que ser feita !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.