Policiais da Delegacia de Homicídios vão à casa de porteiro que citou Bolsonaro no caso Marielle

 

Dois policiais civis da Delegacia de Homicídios (DH) do Rio de Janeiro foram à casa do porteiro do Condomínio Vivendas da Barra, que citou o nome do presidente Jair Bolsonaro (PSL) no caso Marielle.

A visita dos policiais aconteceu no início da tarde desta sexta-feira (8), no bairro da Gardênia Azul, Zona Oeste da cidade, e durou apenas 10 minutos, segundo informações do jornal O Globo.

Em depoimento à Polícia Civil o porteiro disse que ex-policial militar Élcio de Queiroz, suspeito de matar a vereadora Marielle Franco, afirmou que ia para a casa de número 58, onde morava o presidente Bolsonaro, e teria escutado a voz do “Seu Jair” autorizando a entrada. No mesmo dia, Jair Bolsonaro, que era deputado, estava na Câmara, em Brasília.

Ainda não há infornações sobre o que aconteceu durante a visita dos policiais ou se o porteiro estava em casa.

Agência Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.