Moção de aplausos à Polícia Militar de Petrolina, alvo de denúncias de violência policial, é aprovada pela Câmara de Vereadores

(foto: arquivo)

Foi aprovado pela Câmara de Vereadores de Petrolina, o requerimento nº 408/2019, que propõe uma moção de aplausos ao Comandante do 2º Batalhão Integrado Especializado (BIEsp), Tenente Cel. André Luiz, e ao Comandante do 5° Batalhão da Polícia Militar  (BPM), Major Marcondes Gonçalves Ferraz.

A proposta foi dada em meio ao cenário polêmico envolvendo a Polícia Militar de Petrolina, que no mês de novembro, foi alvo de duas denúncias de violência policial. O requerimento tem como autor o vereador Elias Hardim (PHS), que justificou os “relevantes serviços prestados ao nosso município e região, na apreensão de drogas, armas, combate a violência e redução da criminalidade”.

Na sessão da última terça-feira (26), o vereador já havia apresentado verbalmente o pedido, mas após críticas de vereadores da oposição e situação, inclusive da Bancada Evangélica, a pauta foi derrubada. Na ocasião, Elias declarou que os policiais “estavam em serviço e foram impedidos de fazer o seu trabalho por um grupo”.

Denúncias

No dia 9 de novembro, a universitária Camila Roque disse ter sido abordada no centro da cidade e agredida por um PM com um soco no olho, xingada de “terrorista” e avisada de que “Bolsonaro ia acabar com isso tudo”. O motivo das agressões teria sido um livro de teoria marxista que a estudante levava na bolsa (veja aqui).

A segunda denúncia partiu de participantes de um evento em alusão ao Novembro Negro, que aconteceu no último dia 24, no Céu das Águas, no bairro Rio Corrente. De acordo com eles, após uma abordagem, o vereador professor Gilmar Santos (PT), a comunicadora popular da rede de comunicadores Sou Periferia e integrante da Associação das Mulheres Rendeiras, Karoline Souza, o músico Maércio José, da banda Tio Zé Bá, e o poeta Fabrício Nascimento, integrante do Projeto Ser Tão Poeta e tesoureiro da Associação Brasileira de Músicos (núcleo Petrolina), foram agredidos e detidos por policiais do 2° Batalhão Integrado Especializado (BIEsp) (relembre).

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.