Motoristas de transporte por aplicativo realizam manifestações em Petrolina e Juazeiro, cobrando mais segurança

(Foto: Wanderley Alves/Petrolina em Destaque)

 

Dezenas de motoristas por aplicativo se reuniram na manhã desta quinta-feira (16), para cobrar mais segurança à classe. A manifestação teve início em frente a sede da empresa Uber, em Petrolina-PE, localizada no bairro Jatobá.

Os profissionais também pediram justiça para o caso do motorista de Uber, Joel Victor da Silva Souza, de 21 anos, que foi esfaqueado durante uma tentativa de latrocínio, em Juazeiro-BA. O jovem foi jogado em uma avenida pelos três acusados, após ser ferido e ter o carro roubado. A Polícia informou que ele foi socorrido e não corre risco de morte. (veja aqui)

Após o ato em frente a sede da Uber, os motoristas seguiram pela ponte Presidente Dutra e realizaram uma nova manifestação em frente a Delegacia Civil de Juazeiro, cobrando agilidade na investigação do caso.

De acordo com as informações, o grupo pretende realizar uma nova manifestação na próxima quarta-feira (22), a partir das 7h da manhã, no Parque Municipal Josepha Coelho, em Petrolina.

 Entenda o caso

(Victor da Silva Souza-Foto: redes socias)

O motorista de Uber, Joel Victor da Silva Souza, que foi esfaqueado por dois homens e uma mulher, por volta das 22h, no bairro Quidé, em Juazeiro.

A vítima reside em Petrolina-PE e teria atendido a uma chamada no Residencial Brisa da Serra, onde dois homens e uma mulher embarcaram, e foi atacado pelos passageiros ao chegar ao bairro Quidé.

Após esfaquear e jogar Victor em uma avenida, os suspeitos incendiaram e abandonaram o veículo roubado em matagal próximo ao bairro Pedra do Lorde. A polícia informou que o trio fugiu a pé, em direção ao Residencial Dr. Humberto.

A polícia identificou um dos suspeito como Laércio Lima Oliveira, de 30 anos, natural de Salvador-BA. Várias guarnições, sob o comando da Coordenadora Operacional, intensificaram diligências no sentido de localizar, identificar e deter os suspeitos,  mas até o momento ninguém foi preso.

Em nota enviada ao PNB, a empresa Uber lamentou “que cidadãos sejam alvo da violência que permeia nossas cidades”, e disse que “permanece à disposição para colaborar com as autoridades no curso de investigações ou processos judiciais, nos termos da lei”.

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.