“Ele está internado há 44 dias esperando pela regulação e corre risco de pegar uma infecção”, denuncia filho de paciente da Promatre, Juazeiro

 

O estudante Rafael Souza entrou em contato com a redação do PNB para denunciar a lentidão no sistema de regulação da rede pública de saúde. Ele relatou que o pai está internado no Hospital Promatre de Juazeiro há 44 dias, aguardando uma transferência.

“Meu pai deu entrada no referido hospital no dia 22 de Dezembro de 2019, às 13:15. Hoje ele ainda se encontra internado, esperando na fila de regulação para ser transferido para Recife-PE ou Salvador-BA”, contou Rafael.

O estudante explicou ainda que o pai precisar passar por uma cirurgia cardíaca com urgência, e teme que com a demora, o estado de saúde dele venha a se agravar. “Ele precisa colocar três pontes de safena. O meu pai deu entrada no hospital com quatro paradas cardíacas, dois infartos fulminantes e morte súbita.  Hoje ele está se recuperando e reagindo aos poucos, porém a regulação até o momento não saiu e ele está correndo risco de pegar uma infecção hospitalar. Se chegar a esse ponto, quem irá se responsabilizar? O hospital ou o Estado?”, acrescentou.

Rafael finalizou informando que já procurou por diversas vezes a Secretaria de Saúde de Juazeiro e foi informado apenas que o processo de regulação não é responsabilidade do órgão. Ele pediu ainda que as autoridades competentes tomem providências para resolver o problema.

O PNB está encaminhando a reclamação de Rafael Souza para a Secretaria de Saúde de Juazeiro.

Crise na Promatre

O Hospital Promatre de Juazeiro está enfrentando uma crise de gerenciamento. Os funcionários estão com salários atrasados desde outubro de 2019.

De acordo com a diretoria da unidade hospitalar, os pagamentos não foram efetuados aos servidores em virtude de um débito de cerca de R$ 2 milhões pela gestão municipal, que possui um contrato com a instituição para prestação de serviços nas áreas de urgência, emergência e cardiologia.

Entretanto, a prefeitura afirmou que as parcelas pendentes eram relativas a apenas uma parte do contrato e que os valores mais significativos já vinham sendo pagos, regularmente. A gestão municipal afirmou ainda que realizaria os repasses atrasados até essa terça-feira (04), o que não aconteceu.

Manifestação

Os funcionários devem realizar uma manifestação, em frente ao Paço Municipal, nesta quinta-feira (6), às 10h28, caso os pagamentos não sejam realizados até hoje. Os servidores não descartam a possibilidade de paralisação das atividades.

“As medidas dos funcionários ficam a cargo deles, provavelmente protestos ou o que acharem justo e de direito”, acrescentou o médico/Diretor do hospital, Vitor Borges, ao reforçar que as medidas da instituição são meramente jurídicas.

 

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.