“Eu já falei, vou confirmar, não há Prefeito em Curaçá”

13254635_238468109845618_8840776214511163443_o
“Eu já falei, vou confirmar, não há Prefeito em Curaçá”
, este foi o refrão de um protesto dos trabalhadores da educação que ocuparam nesta segunda-feira (16) a prefeitura de Curaçá.
A mobilização contou com a presença da APLB, através do Diretor Presidente da entidade Professor Gilmar Nery, que juntamente com os trabalhadores da educação em Curaçá reclamaram da gestão do Prefeito Carlinhos Brandão. Segundo a entidade, a Prefeitura não pagou o retroativo do piso referente aos meses de janeiro e fevereiro e tem se apropriado indevidamente de valores que são descontados dos professores e não repassados às instituições financeiras para pagamento de empréstimos consignados.
“A Prefeitura tem se apropriado de maneira indébita dos descontos do INSS, já que desconta do trabalhador e não tem repassado. Além disso, nos últimos meses o gestor vem atrasando o pagamento dos salários, o que não tem justificativa levando em consideração que os recursos da educação não atrasam. O piso cumprido em março deve ser pago retroativo a janeiro”, denunciou Gilmar Nery.
De acordo com o Diretor da APLB o protesto de hoje também deu voz aos aprovados no último concurso realizado pela prefeitura que ainda não foram chamados e esperam uma resposta da administração municipal.

E a palavra de ordem é: “Eu já falei, vou confirmar, não tem Prefeito em Curaçá…”. Esse foi o refrão mais entoado durante todo o dia. Neste momento os professores ocupam a sede da Prefeitura de Curaçá.

A produção do Portal Preto no Branco está aguardando um retorno da assessoria da Prefeitura de Curaçá para ouvi-la sobre as denuncias da categoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.