Escritora reclama ausência de autores negros na programação da Flip

conceicao_evaristo

” Nós estamos lendo uma nação em pedaços, uma nação incompleta”.  Com estas palavras, a escritora mineira Conceição Evaristo reclama da falta de negros e negras na programação principal da Festa Literária Internacional de Paraty neste ano. A ausência, que já tinha sido notada desde a divulgação dos convidados, e não passou batida durante o evento.

Nos debates paralelos, autores negros reclamam da falta de espaço. Autora re romances e poesias Conceição Evaristo veio para lançar o livro Histórias de Leves Enganos e Parecenças, além de participar de mesas da programação extra-oficial. Ela diz que a produção de autores negros e negras está crescendo, apesar da falta de apoio.

O ator baiano e autor de livros infantis Lázaro Ramos também reforça a necessidade de mais negros no evento.

Lázaro Ramos veio à Paraty para participar da Flipinha, evento destinado ao público infantil.

O curador da Flip, Paulo Werneck, explicou que a ausência de autores negros na programação principal não ocorreu por falta de convites, mas admitiu que houve falha. A Flip começou na quarta-feira ( 29) e vai até hoje (3).

 FONTE: EBC

1 comentário

  • Cecy Barbosa Campos disse:

    A começar por Conceicao Evaristo, escritora traduzida em várias línguas, indicada ao Jabuti e com um CV invejável, além de muitos outros, a falha é lastimável! Como professora de literatura da UFJF e divulgadora da Literatura de Afro- descendentes já havia comentado este fato em palestra realizada durante a 1 Bienal do Livro de Juiz de Fora, no dia 19/07/16.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.