Febre amarela: “Juazeiro não é região endêmica, mas vacinar é importante” diz Secretaria de Saúde

 

No último sábado (14) a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab), através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, emitiu uma nota informativa sobre o risco de ocorrência de febre amarela no estado, após seis casos de epizootia (transmissão agente patogênico entre animais hospedeiros) em macacos no município de Coribe, no Oeste da Bahia.

Para falar sobre a situação de Juazeiro-BA, que não aparece na lista dos 45 municípios que a Sesab recomendou a imunização de 100% da população, o Diretor de Vigilância e Promoção a Saúde Klinger Farias da Costa, participou na manhã de hoje (17) do programa Palavra de Mulher com Sibelle Fonseca, reproduzido na Rádio Cidade AM 870.

Sobre os risco de um possível surto da doença no município, ele tranquilizou a população. “Não existe situação de pânico em Juazeiro. Nós não somos uma região endêmica, ou seja, não fazemos parte do grupo de risco. As 45 cidades listadas pela Sesab que devem ficar em alerta, fazem divisa com Oeste da Bahia e tem entrada desses animais hospedeiros”, declarou o diretor.

Porém, mesmo diante deste fato, ele ressaltou que apesar desta vacina fazer parte do calendário de rotina do estado da Bahia, muitas pessoas ficam sem se imunizar, aumentando o risco de contaminação e transmissão da doença. “Infelizmente ainda tem muitas pessoas que não tomaram essa vacina. A imunização nunca é de 100% porque algumas pessoas esquecem ou simplesmente não querem se vacinar. Isso acontece principalmente nas áreas urbanas. Mas a gente está sempre chamando a atenção da população para a prevenção das doenças”, informou Klinger Farias.

Durante a entrevista, o Diretor de Vigilância e Promoção a Saúde  de Juazeiro lembrou ainda que como estamos no período de férias e próximo aos festejos de carnaval, a atenção para a regularização da carteira de vacinação deve ser redobrada. ” Essa atualização é muito importante, princialmente para as pessoas que viajaram ou que vão viajar para as cidades que estão na área de risco. É preciso lembrar também que com a realização do carnaval em Juazeiro, que atrai turistas de várias partes do país, está imunizado garante uma maior proteção. A imunidade da febre amarela só acontece 10 dias após a vacinação,  por isso que é importante ter a carteira de vacinação em dia. Quem não tem a carteira pode ir ao posto do seu bairro, adquirir a sua e começar a fazer a atualização. “, explicou o diretor.

De acordo com a Sesab, todos os municípios da Bahia estão abastecidos com a vacina contra a febre amarela. Mas nas cidades que não fazem parte do grupo de risco como Juazeiro, não há indicação de cobertura completa de vacinação. “Nosso estoque de vacinação é abastecido diante da procura, como não tínhamos uma rotina de vacinação contra a febre amarela, nós não vamos ter condições de vacinar toda a população de uma só vez, mas a medida que as pessoas foram se vacinar, a gente vai aumentar esse material”, concluiu Klinger Farias.

A Febre Amarela Urbana (FAU) não ocorria no país desde 1942. Ela é uma doença de grande gravidade clínica e alto potencial de disseminação. Os principais vetores dela são os mosquitos Haemagogus e Sabethes, de hábitos silvestres. O ser humano pode contrair a febre após ser picado por um desses vetores infectados. As pessoas infectadas podem servir de reservatório e passar o vírus para o mosquito Aedes Aegypti, considerado o principal vetor nas áreas urbanas.

 

Da redação Por Yonara Santos

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*