Juazeiro-BA: Usuários do CAPS realizam exposição de talentos no Dia Nacional da Luta Antimanicomial

Quem passou pela Praça Barão do Rio Branco na manhã de ontem (18), foi surpreendido por uma exposição de talentos realizada no local. A ação foi realizada pelos usuários dos três Centros de Atenção Psicossocial – Álcool e Drogas (AD), infantil (i) e II (que atende pessoas com transtornos mentais). Na ocasião, houve a apresentação de um coral, leitura de poesias, pintura em telas, exposição de arte em couro, entre outras atividades.

Tiago Gonçalves (12) é autista. Ele começou a fazer tratamento no CAPS i há três anos. Hoje, o rapaz cantou junto com o coral, emocionando muita gente, uma em especial: sua mãe. “Amei tudo, fico muito feliz por ver um evento que é deles. Eu nunca deixei que ele fosse excluído ou se excluísse, sempre fiz de tudo para trazê-lo para o meu mundo”, revela.

De acordo com a diretora de Saúde Mental da Secretaria de Saúde de Juazeiro (Sesau), Siane Cavalcante, a data celebrada hoje é também um dia de reflexão. “A nossa luta é para oferecer um cuidado para o usuário, olhando o indivíduo como parte integrante da comunidade e não como excluído. O CAPS na Praça é uma atividade extra, onde levamos para a comunidade uma pequena exposição das práticas que são realizadas nos serviços”, explica.

“Há cerca de um ano faço acompanhamento e tem sido muito bom. Essa atividade de hoje é boa para a gente se sentir inserido na comunidade”, diz D.L.S.M. que é usuário do CAPS AD. Ele assegurou que o serviço oferecido pelo CAPS AD com proposta de portas abertas, cantou com sua equipe durante o evento e ficou satisfeito com o resultado .

A ação ainda contou com a parceria dos estudantes do curso de Farmácia da Universidade do Vale do São Francisco. Ellivânia Cruz, que está cursando o 6º período, explica que o objetivo é conscientizar a população para o uso racional dos medicamentos psicotrópicos.

“Muitas pessoas têm dificuldades para dormir e acabam tomando remédios por conta própria, o que não é recomendado. Por isto, estamos dando dicas de como fazer para dormir bem”, exemplifica. As pessoas que conversaram com a estudante, ainda receberam informações sobre depressão e armazenamento correto de medicamentos.

Andréa Meireles / PMJ

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*