Câmara de Vereadores de Juazeiro: Harmonia com o executivo, distância da comunidade

Diariamente, a comunidade de Juazeiro procura a imprensa para fazer suas reclamações, reivindicar serviços públicos que não estão sendo ofertados e apresentar demandas que vão da falta de iluminação nos bairros, situação de abandono das praças, a precariedade do transporte coletivo.

É só acompanhar os veículos de comunicação para constatar a busca por respostas e as insatisfações dos moradores dos mais distintos bairros da cidade.

A imprensa regional tem sido uma espécie de “tábua de salvação” da comunidade. E tem que ser assim mesmo. É papel dos veículos de comunicação dar voz aos populares, as suas necessidades e monitorar os centros de poder.

O que chama atenção é que os legítimos representantes do povo, os vereadores, parecem estar distantes da comunidade. É só acompanhar as pautas discutidas e aprovadas na Casa do Povo.

Depois de dias de recesso, a Câmara de Vereadores de Juazeiro inicia o semestre legislativo sem demandas reprimidas e em clima de “céu de brigadeiro”.

Ontem ( 7) a Sessão Ordinária aprovou quatro Projetos de Lei. Três propostos pelo próprio legislativo e um pelo executivo.

Entre os projetos estão os que instituem dias especiais. Dia disso, dia daquilo. O vereador Reinaldo Sabino (PCdoB), criou a Semana Municipal da Agricultura Familiar, para o mês de julho.  O Vereador Charles Leal (PDT), criou o Dia Municipal da Virada Evangélica.  Só para constar: a laicidade do Estado, prevista na Constituição Federal, vai por água abaixo.

Outro projeto aprovado, de autoria do presidente da casa, (PSL), dá nomes a logradouros públicos do bairro Padre Vicente.

Por último, o do executivo que dispõe sobre datas comemorativas e feriados municipais em Juazeiro, que acrescentou ao Calendário, as comemorações pelo aniversário da cidade e a Marcha para Jesus. Só para constar: a laicidade do Estado, prevista na Constituição Federal, vai por água abaixo.

E, como já virou rotina na “Casa dos vinte e um vereadores” pra lá de alinhados com a gestão de Paulo Bomfim, tome-lhe títulos de Cidadania.

Serão novos cidadãos juazeirenses as seguintes pessoas: Edmundo Isidoro dos Santos, Jaciara da Conceição Sampaio, Josélia Maria de Carvalho, José Antônio Guimarães Bandeira, Nelma Brito Santa Cruz Bomfim, Ana Lúcia de Araújo Lima Lacerda, Padre Santiago Milan Mácia.

Eles devem ter algum “relevante serviço prestado ao município”, requisito para tal honraria. Dos merecedores do título, alguns são até desconhecidos da comunidade. Mas deixa isso pra lá para não criar animosidades.

O que não devemos deixar pra lá é o fato de que os vereadores são muito bem pagos (mais de 12 mil reais por mês) para fiscalizar o executivo e representar o povo, seu patrão.

Além disso, devem eles guardar uma distância sanitária da administração municipal. Mas também, ao que parece e sentimos, da Constituição eles guardaram muito bem a parte que fala em “harmonia” entre os poderes. A independência entre eles, é questionável.

Se “toda unanimidade é burra”, como disse Nelson Rodrigues, eu não sei.

Mas que toda unanimidade é prejudicial a saúde do município, isso é fato. Oposição é saudável, salutar e necessária.

Ou não?

Enquanto isso, o SAAE continua cobrando a taxa de coleta de lixo na conta de água e não se fala mais nisso.

Da Redação por Sibelle Fonseca

8 Comentários

  1. Assino embaixo e dou fé! Tá na hora de incomodarmo-nos com isso, afinal, não dá para remunerar leseira!

  2. Que inferno de pessoas sem nenhum compromisso com a gente povo,e verdade unanimidade e muito ruim pra gente comunidade e fica tipo cachorro em frente a churrasqueira dessas que se chamá televisão de cachorro, eles comendo caviar e a gente ruendo osso !.

  3. Estão alinhados porque todos se venderam,portanto a população vai amargar esperando por ajuda que não vai chegar.Vai ser 4 anos de enrolação,infelizmente.Juazeiro realmente não dá sorte.

  4. Sim, Sibelle, toda unanimidade é burra.
    Onde é que assina pra atestar a concordância?

  5. E essas lastimas continuaram a sugar do dinheiro do nosso município durante 4 anos,sem nada fazer , generalizando estão todos vendidos pra um governo totalitário de tendencias esquerdistas que só nos lembra ao que acontece na Venezuela !,aonde se pode tudo do governo pra o povo,taxa abusiva em cobrança de água,ruas esburacadas ,obras concluídas com falhas,muriçoca,esgoto a céu aberto !!, e que muito me deixa triste e que as famílias dos que estão envolvidos nesses crimes estão todas bem ,com comércios bem estabelecidos e pra eles e só prosperidade !!

  6. Um picadeiro o que mais se parece aquela casa de espetaculos legislativos.Ao povo cabe agora o pão porque o circo há muito está armado.

  7. Concordo que harmonia para lá de suspeita entre o Executivo e o Legislativo de Juazeiro, prejudica a democracia e que as mais recentes legislaturas só serviram para dar títulos e mais títulos. Quando faltou a quem desse, fizeram uma sessão e distribuíram títulos entre si . Só não entendo, sem querer defender ou desprezar qualquer religião, por que Sibelle Fonseca não criticou também o Dia Municipal dos Povos de Terreiros, proposto pelo vereador Tiano e aprovado pela Câmara na gestão passada! “Só para constar, a laicidade do Estado também foi por agua a baixo:!

  8. Embora saiba que não irão publicar, deixarei aqui a minha opinião acerca desse blog: parcial, tendencioso e antidemocrático. Baseado em que chego a essa conclusão? Deixei ontem um comentário que em nada ofendia ao blog, mas, como foi em tom de questionamento a figura da ‘profissional’ Sibelle, foi censurado (nem se deu ao direito de responder). Na prática, aceitar o contraditório é tão difícil assim? Deixo registrada minha opinião e abandono a audiência ao Preto no Branco (so no nome).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*