Artista plástico juazeirense, Iehoshua Iahueh, faz homenagem ao poeta Manuca Almeida

 

O artista plástico juazeirense, Iehoshua Iahueh, assim como outros artistas, admiradores, familiares e amigos, também rendeu homenagens ao poeta Manuca Almeida, que faleceu no último sábado (11), em Barretos, São Paulo, deixando uma Juazeiro e Petrolina, tristes e saudosas.

Em uma charge, Iehoshua desenhou um Manunca feliz e sorridente como na maioria das vezes. Mas agora, perto do céu, estrelas e lua. A homenagem do artista plástico à Manuca, também foi feita através das palavras.

“Você sempre foi mais que um amigo…foi/é meu anjo conselheiro. Conhecer Manuca fez toda diferença em minha vida. Eu não compreendia bem isso de ser artista(a coisa da loucura) e quando via ele recitando, com sua irreverencia ou quando conversavamos no aconchego do seu quintal, eu conseguia ficar em paz de espirito e sabia que nunca estaria sozinho nessa. Sempre dizíamos que havia algo de parecido nas nossas artes e que faríamos algo juntos. Você sempre dizia: “filho amado, estou pensando em fazer umas coisas pela cidade que só você vai entender, vamos fazer?”. Nos encontramos muitas vezes, coincidentemente, pelas ruas da cidade e sempre tinha uma importancia a ocasião. Duas vezes foi assim que te acompanhei na inscrição da sua música no “festival 3desio Santos da canção”. Você me botana no carro e me mostrava seus novos projetos, suas musicas. Eu te dizia: “Manuquinha, quero muito pintar um retrato seu, mas estou com um bloqueio, acho que é porque você é grandioso demais e merece uma pintura melhor que a minha”. E aí você me disse que eu perdesse logo esse bloqueio porque queria logo um retrato de um dos melhores pintores de Juazeiro. Uma semana depois eu te entreguei o quadro. Você é poesia e amor. A última vez que nos vimos, pouco antes de ir pra São paulo, jantamos na sua casa e conversamos sobre assustos serios, sobre espiritualidade e como sua vida foi vitoriosa. Vou sentir muita saudade, meu amigo. Você fez a passagem e sei que daí , onde brilhas agora, continuará nos guiando com luz,amor e poesia. Sei que está com as outras estrelas lá no céu. Nos veremos, como disse a amiga Pok Ribeiro, quando a nave também vier nos buscar.”, escreveu Iehoshua Iahueh.

Da redação Por Yonara Santos 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*