Sempre aos Domingos: “Parabéns pra você que dá o seu melhor”, por Sibelle Fonseca

Um dia desses, depois de pagar a parceira que semanalmente me presta seu serviço de limpeza da casa onde vivo, disse a ela: “Parabéns!” A minha palavra de reconhecimento ao trabalho muito bem feito, causou estranhamento na profissional das melhores, que se voltou pra mim perguntando: “Parabéns por quê? Hoje nem é o dia do meu aniversário…”

Brevemente disse a ela que os parabéns eram pela faxina muito bem feita e pela dedicação, alegria, disposição e responsabilidade com que fez o seu serviço.

Nos despedimos e eu não sei como ela saiu. Mas sei como eu fiquei. Reflexiva e um tiquinho mais atenta às pessoas que me rondam. Prometi-me olhar mais para elas e parabenizá-las mais.

Hoje parabenizei o menino que pesa o pão pra mim (ele é uma graça quando atende), e também o padeiro que proporciona um pão fresquinho, todas as manhãs.

Me passei essa tarefa de casa: Parabenizar as pessoas quando elas dão o seu melhor.

Mas somente quando elas dão o seu melhor. Porque eu preciso ser verdadeira, senão morro antes.

Por que não parabenizar o padeiro, o gari, a cozinheira, o guarda de trânsito, o policial, o ambulante, o pedreiro,  o flanelinha, o garçom, o frentista, o artista de rua, o moço que passa vendendo artesanato, o rapaz do caixa, a feirante do mercado, a moça que passa vendendo brigadeiro nos bares? Por que não, né?

Não basta apenas dizer os convencionais  “bom dia” e “obrigada”. Preciso parabenizar.

O parabéns faz bem. Anima. Compromete. Reconhece. Valoriza e afaga.

Aviso logo que não sou da turma da auto ajuda e nem falo em nome do capital. É por mim que falo.

O chaveiro ágil que me tirou de um perrengue outro dia, merece parabéns. Também o mecânico honesto que fez a revisão do meu carro e muito bem feita. O garçom que me serve a mais gelada da noite, merece mil parabéns. A agente de saúde que me visita constantemente, lembrando-me que devo cuidar da saúde, merece muito. Os prestadores que solucionam, rapidamente, o problema da internet, do encanamento, da eletricidade e o que poda a árvore do jeito que pedi, merecem parabéns demais. Meus companheiros de trabalho, que vejo dando o que de melhor têm, merecem também. Como também minha amiga que luta, corajosamente, contra um câncer e minha mãe que dribla, animadamente, as dificuldades da velhice, merecem todos os parabéns. Merecem parabéns meu amigo que tá aprendendo a dirigir enfrentando o medo e o outro que faz o melhor cabelo do pedaço. Merecem parabéns minha amiga negra que se livrou da escova depois de anos e aquela que sabe acolher como eu jamais acolheria. Parabéns à Oséas, meu amigo flanelinha,  que há mais de 20 anos cuida dos carros alheios, com um sorriso no rosto.

Parabéns à cozinheira que faz a melhor comida caseira no restaurante que frequento e ao pizzaiolo que mata meu desejo aos domingos. Parabéns à manicure que pinta minha unha de vermelho e a depiladora que, discretamente, ver minha intimidade. Parabéns à profissional que me entrega roupas limpas, bem passadas e cheirosas. Parabéns aos meus filhos, por serem os melhores.

Artistas, famosos, notórios, notáveis, privilegiados, celebridades recebem parabéns de hora em hora.

Eu, que nada sou, recebo parabéns por qualquer besteira que faço. Por um comentário mais inteligente, uma atitude mais corajosa, por umas músicas que canto, um projeto que lanço, por umas coisas que escrevo, um feijão bem feito ou uma entrevista que faço. Não falta quem, generosamente, me parabenize.

Não faço nada de extraordinário, mas meu trabalho aparece de alguma forma. O extraordinário está no trabalho dos “invisíveis”, que matam um leão por dia para servir, para prover necessidades.

Imagine aí, se o agente de limpeza não recolhesse o lixo que produzimos todos os dias? Que caos seria! E se ele ainda vem no sol quente, simpático e com boa vontade, merece é um abraço de parabéns.

Nesta semana que começa não vou economizar parabéns. É um gesto simplório, mas sei que poderá fazer bem a quem, mesmo na invisibilidade é tão importante e “parabenizável”.

Começo parabenizando você que dá o seu melhor naquilo que faz. Seja você uma doceira, lavadeira, diarista ou empresária. Seja você um eletricista, um professor, poeta, mecânico ou gestor de uma cidade.

Se você atua com honestidade, compromisso, dedicação e generosidade, parabéns!

Nestes tempos de disputas e temeridades, precisamos agir para uma convivência pautada na fraternidade e colaboração.

Ubuntu! “Eu sou porque nós somos” “Eu só existo porque nós existimos”.

Fora disso, é tudo ilusão!

Sibelle Fonseca é radialista, juazeirense apaixonada, militante do jornalismo, pedagoga, feminista, conselheira da mulher, mãe de quatro filhos, cantora nas horas mais prazerosas, defensora dos direitos humanos e uma amante da vida e de gente.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*