Temer ‘inventou doença’ da corrupção para anestesiar povo, diz Lula no Rio

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva encerrou, na noite de sexta-feira (8), sua caravana pelos Estados do Espírito Santo e do Rio com duros ataques à Lava Jato e ao presidente Michel Temer.

Para uma plateia de estudantes que lotaram a concha acústica da UERJ (Universidade Estadual do Rio de Janeiro), com 2.000 assentos, Lula se comparou ao ex-presidente Juscelino Kubitschek, que foi acusado de ter um apartamento na avenida Vieira Souto, no bairro carioca de Ipanema -o imóvel nunca foi localizado.

Tanto à noite como pela manhã, Lula afirmou que “estamos entorpecidos”, sem reação à reforma trabalhista implementada pelo governo Temer.

Para aplicar essa anestesia, afirmou Lula, “inventaram uma doença”, a corrupção.

Aos estudantes, ele disse também que os delatores da Lava Jato têm vida nababesca. Após perguntar por onde estariam os delatores, Lula acrescentou: “Estão com vida de nababo, comemorando, fumando charuto cubano, tomando conhaque. Sabe quem está fodido? O povo trabalhador”, disse.

No encerramento, o petista afirmou ainda que Temer é um instrumento do capital financeiro, sendo capaz de fazer aquilo que FHC prometeu, mas “não teve coragem de fazer”: acabar com a CLT.

Na viagem ao Rio, ele aproveitou também para dar um empurrão em seus dois candidatos no Estado: o ex-ministro Celso Amorim, para o governo, e o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (reeleição).

Apontado como um possível plano B petista caso Lula seja impedido de disputar, o ex-prefeito Fernando Haddad participou dos atos com estudantes.

Nos discursos, Lula avisou: “Eu voltei à ativa”.

Folha press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.