“Você sabia que a Catarata tem cura?”- Por Gláucio Bressanim

A doença é a principal causa de cegueira reversível no mundo. Paciente pode retornar para casa logo após a cirurgia

A visão embaçada assusta muita gente e com razão. A Catarata, principal responsável por esse sintoma, pode levar a cegueira. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), no mundo, são hoje 20 milhões de pessoas cegas. Desse total, cerca de metade é devido à catarata. A boa notícia é que a patologia é reversível.

Há muitos tipos de catarata. A doença é caracterizada como uma perda da transparência dos meios oculares, conforme explica o oftalmologista do Hospital da Visão de Toledo (HVT), Gláucio Bressanim: “Ela atinge o cristalino que funciona como uma lente natural do globo ocular. A catarata torna opaca essa região criando dificuldade para enxergar”.

A manifestação é lenta e geralmente inicia primeiro em um dos olhos. Os idosos são os principais afetados segundo Bressanim, que destaca que o diagnóstico pode ser realizado numa consulta de rotina. “O paciente percebe paulatinamente que sua visão está ficando embaçada, como se visse através de um vidro sujo”.

O tratamento da doença tem sucesso na grande maioria dos casos. Por meio de um processo cirúrgico, quase a totalidade dos pacientes voltam a enxergar normalmente. “Nós substituímos o cristalino opaco por uma lente artificial. Para isso, aplicamos uma anestesia local”. Em geral o paciente que opera tem alta no mesmo dia e hoje em dia, através de modernas lentes, é possível inclusive reduzir a dependência dos óculos.

Sobre Doutor Gláucio Bressanim

Gláucio Bressanim é graduado em Medicina pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), onde também fez residência entre 2004 e 2007. É especialista em inflamação intraocular (Uveíte) pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP) e em Retina e Vítreo pela Universidade de São Paulo (USP). Atua no Instituto da Visão de Cascavel desde 2009 e desde 2011 atende também no Hospital da Visão de Toledo.

Agência Casa Notícias

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*