Comissão de professores da rede municipal de Juazeiro rebate informações da Secretaria de Educação

(foto: reprodução/Youtube)

No programa Palavra de Mulher na web desta sexta-feira (12), a apresentadora Sibelle Fonseca esteve recebendo uma comissão de professores da rede de ensino de Juazeiro. Os profissionais rebateram uma nota divulgada pela Secretaria de Educação do município em relação ao atraso no pagamento do abono férias.

Ontem, após uma matéria publicada no portal de notícias Preto no Branco onde os professores fizeram cobranças à Prefeitura Municipal reivindicando o pagamento do abono, a Secretaria de Educação (Seduc) enviou uma nota afirmando que “não existe data fixa para pagamento deste recurso, ficando o mesmo condicionado ao fluxo de repasses do Governo Federal”.

Integrante da comissão de professores, Rosilda Marques rebateu a informação. Com o Estatuto do Magistério Público Municipal de Juazeiro em mãos, a servidora leu o artigo 56 do capítulo IV da seção II: “Independente de solicitação, será pago ao Profissional do Magistério e Profissional de Apoio Pedagógico, por ocasião de férias, um adicional correspondente a 50% do vencimento do período de férias.”

De acordo com a comissão de professores, o pagamento do abono férias estava previsto para o último dia do mês de dezembro, mas apesar do prazo ter sido mudado para quarta-feira (10), o acordo não foi cumprido. Cerca de mil e quinhentos professores estão prejudicados com o atraso, segundo Rosilda.

Na nota enviada pela SEDUC, foi estabelecida uma nova data para o pagamento: até 20 de janeiro.

“A Secretaria de Educação de Juazeiro recebe diretamente nas suas contas, três repasses mensais, (dias) 10, 20 e 30. Por que pagar os profissionais de educação só no último repasse? O abono férias vai ser pago com o recurso do dia 20? De que forma a prefeitura vai pagar o salário de janeiro?”, questiona Rosilda Marques.

Os professores também cobram a divulgação do calendário de pagamento dos vencimentos para o ano letivo de 2018 e pedem que algumas questões trabalhistas voltem a ser de responsabilidade da Secretaria de Educação do Município.

Da Redação por Thiago Santos

5 Comentários

  • Valentina disse:

    Sou Professora e agradeço à essas colegas pela coragem. O município Caiu no quesito respeito e consideração ao Professor. Devemos receber Antes das férias. Dia 20? Absurdo!

  • Falta de respeito deste prefeito q dizia na epoca de campanha q iria continuar a fazer os repasses em dia…#chega de tanta mentira senhor prefeito e secretarios…e a secretaria de educaçao q nao toma providencia…vamos trabalhar?

  • Acho q todos os professores devem falar e reinvindicar seus direitos…chega de ficar calados…professores vamos a luta…merecemos respeito e temos q lutar por nossos direitos…#respetocomosprofessores

  • Leila Viana disse:

    Isso é um descaso com os professore,PAGUEM NOSSAS FÉRIAS, sabemos que o dinheiro chegou sim, o FUNDEB tem três repasses ao mes , e para onde está indo esse dinheiro? Não adianta colocar culpa em bancos ou outros , a culpa é da má administração , altas comissões e mais de mil contratos(bota mil nisso). Más não aceitaremos o que está acontecendo essa foi a última vez, somos uma classe forte e os políticos precisam de nós, lembrem-se que esse ano tem eleição.QUEREMOS NOSSOS PAGAMENTOS EM DIA SENHORES PREFEITOS . E a chefe do setor pessoal da prefeitura tenha discernimento em sua atitudes ,uma faculdade de assistência social serve para isso também.

  • Licia Lopes disse:

    Parabéns aos PROFESSORES, que estão lutando por sua categoria, por mais respeito e cumprimento dos Precatórios e Abono Férias.
    Sugestão: Os meios de Comunicação, Blogs, rádios, TV, convidem a Secretaria Mun. de Educação como também a APLB para responder as reivindicações dos PROFESSORES. A categoria merece uma resposta, merece mais respeito e tem direito ao pagamento devido!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.