Exemplo de cidadania: moradores retiram grande quantidade de lixo em canal que corta Juazeiro

(foto: reprodução/Whatsapp)

Um leitor do Preto No Branco registrou um flagrante que prova a falta de consciência ambiental e de convivência da sociedade: muito lixo jogado nos canais que cortam Juazeiro. Nas fotos enviadas, é possível ver a grande quantidade de lixo que foi retirado ontem (11) do canal da Avenida Luiz Inácio Lula da Silva, em Juazeiro.

Foram dezenas de pneus, entulhos, carcaças de móveis e até eletrodomésticos.

“O que observamos é que logo após serem limpos, em pouco tempo os canais voltam a acumular sujeira. Um problema sem fim e que incomoda muito a nós moradores. O lixo atrai rato, muriçocas e, com a proximidade das chuvas, nos preocupa muito, porque já sabemos dos transtornos que virão”, informou uma moradora do bairro centenário, incomodada com a situação.

Além de causar poluição visual, a prática se configura em uma grande agressão ambiental, que se espalha pelos diversos espaços públicos da cidade, formando verdadeiros lixões a céu aberto.

“Todo lixo despejado irresponsavelmente coloca em risco a saúde dos moradores, pois atraem vetores de doenças, como baratas, moscas, ratos e mosquitos e precisamos combater isso. Esta é uma responsabilidade também da população”, desabafa outro morador.

(foto: reprodução/Whatsapp)

A limpeza do canal da Luiz Inácio, segundo informações do leitor, foi feita por alguns moradores que queimaram o material em um terreno próximo.

De acordo com a Prefeitura, as frentes de trabalho realizaram ontem a limpeza dos canais do Mulungu, no Itaberaba, no João Paulo II e no canal Mulungu, Tabuleiro.

Procuramos a Semaurb, que valorizou a ação dos moradores de limpar o canal, mas alertou que o lixo não deve ser jogado ou queimado nos terrenos baldios. A assessoria informou que a fiscalização já está identificando, através do cadastro imobiliário do município, o responsável pelo terreno próximo ao canal, onde frequentemente serve para depósito de lixo, para que ele mure a área.

A Semaurb também solicitou que os moradores se informem, junto ao órgão, os locais corretos para descarte do material retirado.

Uma das consequências danosas para quem vive na cidade, devido ao descarte irregular é a alagação, e com a promessa de chuva, aumenta a preocupação de quem mora próximo aos canais.

“Os canais, galerias e bocas de lobo, onde se joga de tudo, quando obstruídos, por acúmulo de lixo descartados nas ruas, impede a passagem da água, que retorna provocando alagamentos e inundações e causa muitos transtornos para nós que moramos aqui”, lamentou a moradora.

Como se trata de um crime ambiental e ações de sensibilização para que as pessoas não sujem a cidade não estão surtindo efeito, a prefeitura, por meio do órgão competente deveria aplicar a legislação que trata da política de Meio Ambiente, para responsabilizar quem for flagrado lançando qualquer tipo de rejeitos em espaços públicos.

Se é crime, tem punição. Fica o alerta.

Uma cidade limpa proporciona mais saúde e qualidade de vida aos moradores, facilita a mobilidade urbana e revela a cidadania dos seus moradores.

Da Redação por Sibelle Fonseca

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*