Marchinha de carnaval ironiza possível privatização do Carnaval de Petrolina

A mudança no modelo de realização do Carnaval de Petrolina está rendendo muitas críticas negativas. Assim como aconteceu em Juazeiro, na festa de  momo da cidade pernambucana alguns espaços foram fechados, obrigando os foliões a consumirem bebidas e comidas comercializadas dentro do Polo da Porta do Rio, na orla da cidade, e do Polo da Praça 21 de Setembro, o que gerou insatisfação em grande parte dos foliões.

Um vídeo postado neste domingo (12) em um canal no Youtube fortalece as críticas em relação a possível privatização do Carnaval de Petrolina, reforçando a necessidade de uma festa democrática, sem as ruas fechadas, e estimula os foliões a não se sentirem reprimidos com o novo modelo da festa.

Entenda

Assim como aconteceu no Carnaval de Juazeiro 2018, a prefeitura de Petrolina adotou um novo modelo para a realização da festa: através de abertura de licitação, ‘vendeu’ o espaço da festa para uma empresa, que fica com a responsabilidade de montar toda a infraestrutura do espaço, inclusive de bebidas e comidas.

Dessa forma, fica proibida a entrada de pessoas portando bebidas, garrafas de vidros, copos de vidros, isopores, bolsas térmicas, caixas térmicas ou qualquer outra forma de armazenar e transportar bebidas, sejam elas alcoólicas ou não. Assim os foliões só podem consumir as bebidas e comidas vendidas pelas concessionárias no interior dos Polos.

De acordo com a Prefeitura Municipal, tais medidas visam evitar a entrada de armas e também reduzir a aglomeração na hora da revista pessoal, o que consequentemente, gera mais segurança aos foliões durante o Carnaval de Petrolina, além de significar redução de gastos do cofre público.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.