Juazeiro e Petrolina: Taxistas protestam contra atuação do Uber e reivindicam a regulamentação do serviço

A manhã de hoje (13) foi marcada por um protesto que reuniu cerca de 200 taxistas de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA). Era contra a atuação do Uber, que há seis meses vem operando na região.

Segundo a organização do protesto, os motoristas do Uber estão atuando como um táxi comum, sem respeitar as regras do aplicativo, chegando a fornecer o contato telefônico para os clientes usuários.

Em carreata, os manifestantes percorreram as ruas de Petrolina, pedindo providências aos órgãos responsáveis pela regulamentação do transporte público das duas cidades.

Em entrevista ao PNB no mês de fevereiro, o presidente da Associação dos Taxistas de Juazeiro (ASTAXI), José Sergio Leandro Pereira, declarou que  “O caminho correto seria uma fiscalização. Já que o serviço ainda não foi regularizado, ele não deveria está funcionando. O taxista precisa está todo cadastrado, ter uma série de documentação para poder trabalhar. Se algum motorista é pego, tanto em Juazeiro, como em Petrolina, fora deste padrão, é privado do seu direto de trabalhar. Já os  condutores do aplicativo estão prestando serviço à população de forma questionável, pois é um serviço prestado por pessoas sem qualificação, sem compromisso com o bem estar público. O compromisso do motorista do Uber é apenas com ele. Ele não participa de nenhuma empresa, ele simplesmente faz um cadastro que também é questionável. Por isso, nós taxistas ficamos muito inquietos com essa morosidade das prefeituras de Petrolina e Juazeiro para resolver esse problema. Queremos que sejam cobrados deles, os mesmos deveres que nos são cobrados”, disse José Sergio.

Também em fevereiro, quando o PNB publicou matéria sobre os 5 meses do Uber, a CSTT, em Juazeiro, disse que “o município estava buscando a melhor forma de tratar normativamente a questão, tendo estabelecido inicialmente, diálogo com a cidade irmã Petrolina-PE, além de observar o amadurecimento do tema perante os tribunais do país, principalmente no Supremo Tribunal Federal”.

Já a Prefeitura de Petrolina informou que estava esperando a regulamentação do serviço por parte do Governo Federal.

Como o Governo Federal já deliberou que a regulamentação do Uber é de competência municipal, as duas cidades já podem legislar sobre o tema.

A Ammpla, Autarquia Municipal de Mobilidade de Petrolina, após o protesto desta terça-feira, já informou que irá encaminhar o projeto para a procuradoria do município, que deverá analisar e enviar para apreciação do legislativo municipal. O órgão também informou que só poderá fiscalizar as atividades do Uber após a aprovação do projeto.

Aguardamos um posicionamento da CSTT sobre as providências que serão adotadas.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.