Após ter recurso negado, Dirceu admite que pode ficar preso “para sempre”

Em entrevista à Folha de São Paulo, o ex-ministro José Dirceu, 72, admite a possibilidade de ficar para sempre na prisão. Na última quinta (20), o petista teve seus recurso negado pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) e pode ser detido a qualquer momento por ordem do juiz Sergio Moro. Ele foi condenado a 30 anos e nove meses de reclusão pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa em esquema de propinas na Petrobras.

Por seus próprios cálculos, Dirceu pode entrar na cadeia para não sair nunca mais. “É uma hipótese”, admite.

De acordo com o jornal paulista, o ex-ministro está com uma “tosse nervosa” e os olhos inchados por causa de uma operação que fez nas pálpebras —entre outras coisas, para enfrentar a fraca luz da prisão e manter o hábito da leitura.

À jornalista Mônica Bergamo ele disse, entretanto, que a pena não mudará em nada a sua vida. “Preso ou aqui fora, vou fazer tudo o que eu fazia: ler, estudar e fazer política. Eu tenho que cumprir a pena. Eu não posso brigar com a cadeia. O preso que briga com a cadeia cai em depressão, começa a tomar remédio”, respondeu.

Ao ser indagado acerca do que sentiu diante da prisão do ex-presidente Lula, Dirceu afirmou ser “muito frio para essas questões”. “Acho que ele fez o que tinha que fazer, aquela resistência simbólica foi necessária. E nós ganhamos essa batalha política e midiática.”

Questionado se o companheiro petista suportará o isolamento no cárcere, o ex-ministro disse que “o tratamento é respeitoso e ele recebe advogados todos os dias, e a família uma vez por semana, vai se adaptando”.

Estadão

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*