Mal Avaliadas: Confira lista das campeãs em reclamações divulgada pelo Procon/Ba

O ranking do Cadastro de Reclamações Fundamentadas, divulgado nesta quinta-feira (15) pela Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA), aponta os serviços mais desaprovados pelos consumidores.

Telefonia, água, TV por assinatura, cartões de crédito e de lojas lideram a lista das reclamações registradas no órgão em 2017, pelos consumidores.

A área de produtos é a campeã de reclamações no estado. Cerca de 51,2% das 3.305 reclamações não foram atendidas pelas empresas do ramo. O setor é seguido por serviços essenciais (2.037), assuntos financeiros (1.580), serviços privados (898), saúde (236), habitação (37) e alimentos (19).

Já os assuntos estão mais ligados à telefonia convencional, celular e interfone (857); água e esgoto (736); serviço de telefonia móvel (585); serviço de telefonia fixa (490); cartão de crédito (459); cartão de loja (346); TV por assinatura (274); microcomputador/produtos de informática (258); móveis para sala (228), entre outros.

No total, foram 8.112 reclamações feitas na Bahia ao Procon só em 2018. Dessas, 3.745 foram atendidas e 4.367 não foram tiveram como ser contempladas.

O ranking também lista as empresas campeãs de reclamação na Bahia. As 10 primeiras são

Embasa
Casas Bahia/Ponto Frio
3 Oi
4 Telemar – Oi
5 Insinuante.com.br/Ricardo Eletro
6 Pontofrio.com – Extra.com – CasasBahia.com
7 Dukel/Lojas Insinuante
Zurich Seguros
9 PLL Salvador Service
10 Cardif do Brasil

A empresa campeã de reclamação, Embasa, teve 739 reclamações este ano. Dessas, 232 foram atendidas e 416 não foram contempladas pela companhia, que é concessionária de serviços de saneamento básico do estado. Ao CORREIO, a empresa afirmou que atende 3,6 milhões de domicílios com serviço de abastecimento de água, dos quais 1,3 milhão também é atendido com esgotamento sanitário.

“Proporcionalmente, as 739 reclamações mencionadas no ranking do Procon, a maior parte delas em Salvador, significam 0,0011% dos 668.376 domicílios atendidos pela Embasa somente na capital baiana. Todas as reclamações consideradas ‘não atendidas’ foram alvo de análises e tentativa de resolução por parte da Embasa, mas não resultaram em acordo com o cliente, pois a empresa não as considerou pertinentes. Em grande parte dos casos, as reclamações decorrem de desconhecimento das normas comerciais da empresa e da legislação do saneamento”, afirmou a Embasa, em nota.

A Casas Bahia/Ponto Frio foi a segunda em reclamações. Foram 464 reclamações no ano, sendo 157 atendidas e 307 não atendidas. Em nota, a Via Varejo, que representa as empresas Casas Bahia, Ponto Frio, além do e-commerce Extra, afirmou que o número de reclamações é consequência de uma mudança na empresa. “A quantidade de manifestações relatadas é consequência de uma reestruturação e troca de sistemas de logística e de atendimento realizados em 2016, que impactou diretamente no volume de demandas e solicitações de clientes, especialmente no primeiro semestre de 2017”, afirmou o grupo, em nota. O Extra apareceu em sexto lugar, junto com Ponto Frio e Casas Bahia novamente, com 220 reclamações, sendo 94 atendidas e 126 não contempladas.

A Oi e a Telemar – Oi aparecem em terceiro e quarto lugares com 435 e 390 reclamações. Em comunicado, a empresa afirmou que as reclamações registradas na Anatel caíram 13,9% no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano anterior. Ela ressaltou ainda o investimento na expansão e melhoria da qualidade da rede móvel, de telefonia fixa e banda larga, na modernização da rede, no atendimento e na transformação digital. “Paralelamente aos investimentos em rede, a companhia tem investido no aprimoramento do atendimento, priorizando a resolução dos problemas à primeira chamada e a revisão de processos”, comentou a assessoria.

Em quinto lugar está o e-commerce da Insinuante e a loja da Ricardo Eletro, com 290 reclamações, sendo 140 atendidas e 150, não. A empresa também aparece em sétimo lugar. Em comunicado, a empresa afirmou que “sempre se coloca à disposição de seus clientes e se preocupa com a qualidade do atendimento e a melhoria do padrão dos serviços prestados”. As lojas físicas da Insinuante na Bahia aparecem em sétimo lugar, com 218 reclamações, sendo 93 atendidas e 125 não rea

A Zurich Seguros foi a oitava empresa com mais reclamações do estado. Foram registrados 212 reclamações durante o ano de 2017 no Procon, sendo 36 resolvidas e 176 não resolvidas. Em nota, o grupo afirmou que em comparação ao crescimento de vendas de 2017, os números de reclamações “não refletem em percentuais um aumento”. “Entretanto, ciente da necessidade de sempre melhorar a experiência de seus consumidores, a companhia vem investindo continuamente em ações com a finalidade de diminuir o número total de reclamações. Neste sentido, a Zurich está realizando visitas às sedes do Procon em diversas cidades e estados, com o objetivo de analisar as situações e antecipar a resolução dos problemas. A companhia também criou áreas internas exclusivamente dedicadas a atender reclamações diretas do consumidor e/ou via Procon”, justificou a companhia.

Confira a lista com as empresas que ficaram entre as posições 11 e 30 em número de reclamações:

11 Sky

12 Coelba

13 Magazine Luiza

14 Banco Bradescard

15 Tim Celular

16 Claro/Claro fixo/Claro Móvel; Net serviços

17 Vivo

18 Samsung

19 Bradesco

20 Leader S/A

21 Motorola

22 Grupo Lenovo/CCE

23 C&A

24 Lar Shopping

25 GBarbosa

26 Shoptime.com/Americanas.com/Submarino.com

27 Lojas Americanas

28 Sony Ericsson

29 Panamericano

30 Banco Cetelem

Da Redação com informações Procon/ Correio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*