“Liberdade”, por Maviael Melo

(foto: arquivo pessoal)

Liberdade ao pensamento em sua ação
Se for de fato o sentimento em seu lugar
De olhar no outro com o sentir e respeitar
Por cada escolha, em seu compasso e reação
O pensamento universal em ser irmão
Por ser igual em propriedade e assim seguir
Em seu roteiro na igualdade consentir
O que é direito em ser liberto plenamente
Soltando a rima do dever mais consciente
Amar ao próximo como se fosse pra si

Liberdade a cada ideia promissora
Que se envolve nos sentidos por fazer
Um tempo novo sem o jogo do poder
Que se embriaga por canal de emissora
Deixe a palavra se mostrar libertadora
Pois não se prende quando o verbo é coletivo
E se a ideia é desprender, nem ser cativo
De sensações que se desnudam na mentira
Que seja a ação pela verdade que inquira
O movimento que mantem o sonho vivo

Liberdade ao nosso povo em seu direito
De escolher o que é melhor pra sua gente
Troque essa peça estragada, vil, doente
Que se utiliza de uma toga, um mal sujeito
Chegou a hora em liberta-se, brada o peito
Deixe a esperança renascer Democracia
Traga de volta a nossa soberania
Pelas ações, fazer crescer sendo diário
Tire as bandeiras desse mal judiciário
Que subserve ao triste império, a tirania

Liberdade já bem disse o poeta
Ainda que seja tarde, libertai
Enquanto a toga da vaidade, sai não sai
Mostram a face da justiça incorreta
A frase única desse povo se completa
Deixe-nos livre pra escolher nossa nação
Deixe que as urnas sejam leis na condução
Solte a ideia do futuro e se garanta
Sendo no grito a poesia tem garganta
E se levanta pra gritar contra opressão.

Maviael Melo é poeta, cantor, cantador, compositor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.