Petrolina: Índice de vacinação contra poliomielite e sarampo estão abaixo da meta

(foto: reprodução/internet)

Após o Ministério da Saúde divulgar que a aplicação de todas as vacinas do calendário adulto está abaixo da meta estipulada em todo o Brasil e atentar para a ameaça de retorno da poliomielite e do sarampo, a Secretaria de Saúde de Petrolina divulgou dados da vacinação contra essas doenças no município. Os números mostram que nos dois casos, os índices de vacinados está abaixo da porcentagem recomendada pelo órgão.

Sarampo

Os dados apontam que até maio de 2018 apenas 84,4% das crianças de Petrolina foram vacinadas contra a doença, quando o índice mínimo estabelecido pelo ministério é de 95%.

A não imunização, principalmente em crianças, é um fator determinante para a reintrodução do sarampo no país. Considerada uma doença erradicada no Brasil desde 2016, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) identificou que o país não obteve nenhum registro de casos do vírus há um ano, os baixos índices de vacinação advertem que há possibilidade de um surto da doença.

Além de ser altamente contagiosa, o sarampo é uma doença infeciosa aguda e transmissível que pode levar à morte de crianças pequenas ou causar sequelas graves. No Brasil, segundo a OMS, entre 1º de janeiro e 23 de maio deste ano foram registrados 995 casos de sarampo no país – 611 deles no Amazonas e 384 em Roraima. Nesse período, duas mortes foram registradas, mas na última quinta-feira (5) um bebê de 7 meses morreu vítima de sarampo em Manaus. A morte de uma menina de 9 meses, também por suspeita de sarampo, está sendo investigada.

Segundo a Secretaria de Saúde de Petrolina, a recomendação é que crianças com até 12 meses tomem a tríplice viral, que evita o sarampo, a rubéola e a caxumba, e com reforço da imunização aos 15 meses com a tetra viral que imuniza também contra a varicela. Jovens e adultos até 29 anos, não vacinados anteriormente ou que não se lembram, devem tomar as duas doses da tríplice viral, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas. Adultos entre 30 e 49 anos (não imunizados ou que não lembram) devem tomar uma dose da tríplice viral. Profissionais de saúde não vacinados devem tomar duas doses da referida vacina, independente da idade.

Sintomas: incluem febre alta acima de 38,5°C; erupções na pele; tosse; coriza; conjuntivite; e manchas brancas que aparecem na mucosa bucal, conhecidas como sinais de Koplik e que antecedem de um a dois dias antes do aparecimento da erupção cutânea.

Transmissão: acontece de quatro a seis dias antes e até quatro dias após o aparecimento do exantema (erupção cutânea). O período de maior transmissibilidade ocorre dois dias antes e dois dias após o início da erupção cutânea.

Poliomielite

Em relação a vacinação contra a poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, a Secretaria de Saúde de Petrolina informou que os números são ainda mais baixos. De janeiro a maio de 2018 a cidade registrou uma cobertura vacinal de 74,30%. O índice preconizado pelo Ministério da Saúde também é de 95%.

Apesar de estar abaixo da meta, Petrolina não se encaixa na lista de cidades que o Ministério da Saúde acendeu o “alerta vermelho” para o risco da volta da doença. Esses municípios não conseguiram atingir 50% da cobertura vacinal nos últimos anos. A situação mais crítica, segundo uma publicação do site Agência Brasil, é na Bahia, onde 15% das cidades não vacinram 50% do público. O Brasil não registra casos de poliomielite há 28 anos.

A poliomielite é uma doença causada por um vírus que vive no intestino (poliovírus), e que geralmente atinge crianças com menos de 4 anos, mas também adultos.

A vacina é voltada para crianças de seis meses até 4 anos, 11 meses e 29 dias, segundo a secretaria. Em agosto será realizada um Campanha Nacional contra a Poliomielite entre os dias 6 e 31.

Sintomas: a maioria das infecções apresenta poucos sintomas que geralmente são semelhantes às infecções respiratórias (febre e dor de garganta) e gastrintestinais (náusea, vômito e prisão de ventre). A infecção pode levar a forma paralítica da doença e em alguns casos levar à morte.

Transmissão: pode ser transmitida de uma pessoa para outra por meio de saliva e fezes, assim como água e alimentos contaminados.

Imunização

A Secretaria de Saúde de Petrolina pede que a população vá a um posto de saúde, munido da caderneta de vacinação, para saber se é preciso fazer a atualização de alguma dose. A vacina está sendo ofertada gratuitamente em todas as unidades de saúde do município no horário das 8h às 17h, na zona urbana, e até às 13h na zona rural.

A Secretaria de Saúde de Juazeiro não divulgou os dados da vacinação contra o sarampo e a poliomielite na cidade até o fechamento da matéria.

Da Redação por Thiago Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.