“Cercadinho”em um bar na orla de Juazeiro: Pode, prefeitura?

Um “cercadinho”, isolando um dos bares que fica no conhecido “Eme”, na orla de Juazeiro, chamou atenção da nossa equipe de reportagem, que esteve no local, na manhã desta quinta-feira (19).  Com o isolamento, até os bancos que margeiam o canteiro central, passaram a fazer parte da “área exclusiva e restrita ao bar”

O isolamento no espaço público, feito pelos proprietários que exploram o bar, que também funciona em uma estrutura pública, suscita algumas indagações:

Como funciona a política de utilização do solo, em Juazeiro?

O “cercadinho” está mesmo regular?

A intervenção dos proprietários foi autorizada pela prefeitura?

Conversamos com alguns moradores da cidade e ouvimos alguns questionamentos sobre o isolamento da área, que impede o acesso das pessoas. Elas não quiseram ser identificadas.

“Como assim? E se alguém quiser contemplar o rio neste trecho que foi isolado? O Eme foi feito com dinheiro público ou não?”, perguntou um morador de Juazeiro.

“Eu e muitas pessoas, que fazemos caminhada aqui na orla, costumávamos utilizar o espaço de trás, que era uma área livre e é pública. Onde fica o direito de ir e vir no lugar que é público?”, acrescentou outro morador.

“Isso é um absurdo! O público e o privado se confundem em Juazeiro. Estão privatizando também o passeio público? ” indagou um outro nosso entrevistado.

Já enviamos um pedido de esclarecimento à Prefeitura de Juazeiro.

Da Redação

9 Comentários

  • Suely Almeida disse:

    Sibele e a equipe Preto no Branco estão de Parabéns! Este absurdo deve ser apurado e rechaçado pelo poder público. A orla de Juazeiro foi construída com o dinheiro do povo que pode e deve usufruir do espaço que lhe pertence.

  • Naara Guimaraed disse:

    Ñ que esteja correto privatizar areas publicas. Mas acho mas grave a privatisação dos estacionamentos. Isso foi colocado e todos aplaudiram. Hoje se temos que entregar algo em um local qualquer seja por 10 minutos temoa que pagar no minimo 30 minutos sem utilizar o tempo restante. A população Juazeirencese quer foi atraz de que eles colocasen uma maquina que lhe desse o direito do retorno desse tempo em forma de acumulo . vcs ja imaginaram por dia quantas pessoas são usurpadas do seu direito? Se paga 1hra e se ñ usar nada é feito mas se colocar o carro em local publico por 10 minutos que seja sem pagar zona azul é inicialmente multado com um valor de R$ 15,00. Isso e no minimo injusto. Mas é a cara do lovo Brasileiro que adora pagar imposto e fica se lamentando depois. Abra os olhos Juazeirences! Cibele deixo aqui a minha indinação tbm em relação a zona Azul. E gostaria se possivel ver o responsavel por esse furto resolvet essa questão. Sei que vc é uma pessoa inteligente e que essa questão esta passando despercebida ate por vc qie faz o jornalismo. Espeto vet uma reportagem a esse respeito. Obrigada.

  • Luana disse:

    Na minha opinião ficou foi lindo
    Juazeiro precisa de espaço como esse
    E passei por lá e não é fechado
    Tem uma espaço de uns 2 metros para passagem
    E os bares q colocam mesas na calçada da Orla

  • Altamiro Rodrigues disse:

    Agora pode tudo é o PC do B. Se ligue povo de Juazeiro
    Não se ilundam.

  • paulo disse:

    Só estao tomando o resto q ficou pq já tomaram e fecharam a outra parte do canteiro
    JUAZEIRO ESTÁ MSM VENDIDA

  • Givonilde Rodrigues disse:

    O dono do estabelecimento está errado sim por cercar um espaço público, a orla é do povo.
    Não existe essa história que é inveja, que a orla ficou mais bonita com esse “empreendimento” .
    Se a prefeitura permitiu fazer um “cercadinho” , todos podem. A porta de entrada podia ser bem larga, a questão é que cercou, limitou, de qualquer forma o espaço não está livre, ali só entra quem vai consumir no bar, com um detalhe, tem que ter um bom poder aquisitivo, ou seja, não é pra qualquer um, afinal, vivemos no país da desigualdade.

  • Valderi simoes disse:

    Sabe o que nao pode e aquele tumulto ao lado do bora,bora sem higiene ,to mando toda calcada o certo e seguir o exemplo de mec Beto padronizar todos quiosques e que o mec Beto Sirva de exemplo

  • Não achei nada demais , ficou muito legal, não ficou nada fechado , o dono achou uma maneira de valorizar o espaço e isso não significa esta fechado ao publico, esse povo gosta é de reclamar mesmo,.

  • Railson Dias da silva disse:

    A pagina só vê o cercadinho….a pagina ñ vê que o pessoal do comércio tava usando o estabelicimento do do bar…como estacionamento de motos ñ é…falo isso que vejo todos os dias…mas tem sim o espaço para entrar e sair..n tem porta o chamado cercadinho… deu foi uma beleza a orla q mais parece um lixo..cheio de usuarios de droga e moradores de rua…e um fedor horrivel de fezes….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.