Associações rurais da região de Jacobina assinam convênios para impulsionar o desenvolvimento local

Presidentes de 24 associações de produtores de 12 Territórios Rurais do Território do Piemonte da Diamantina, região de Jacobina – BA, assinaram no último dia 06 convênios para a garantia de investimentos no potencial produtivo das comunidades, com vistas a impulsionar o sistema produtivo da mandioca e frutas nativas, a exemplo do umbu e licuri, bem como a criação de aves e caprinos.

Os investimentos,  que ultrapassam o montante de 10 milhões de reais, serão garantidos por meio do Projeto Pró-Semiárido, executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), órgão da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) do Estado Bahia. Esses recursos são frutos do acordo de empréstimos entre o governo da Bahia e Fundo de Desenvolvimento Agrícola (FIDA) e vão viabilizar melhorias na qualidade de vida de milhares de famílias que vivem da produção agropecuária nesta região.

No ato das assinaturas, que ocorreu no escritório do Serviço Territorial de Apoio a Agricultura Familiar (Setaf) de Jacobina, técnicos e técnicas e demais membros do Setaf debateram com os comunitários algumas questões  relacionadas à gestão dos recursos do projeto, que, além do componente produtivo, investe também no  sociocultura, por meio de capacitações e orientações para as famílias rurais. Na ocasião, Rejane Magalhães Borges, Chefe do escritório, reforçou a responsabilidade que as Associações terão para a gestão e controle dos recursos oriundos do projeto.

O presidente da  Associação dos Produtores Rurais de Barriguda do Luiz e Lima, no município de Umburanas,  Reginaldo Gama, se mostrou animado com a possibilidade das famílias de sua região alcançarem melhorias no cultivo de mandioca e na produção de galinhas e ovos, por exemplo. Reginaldo disse que esses produtos serão também melhor comercializados em regiões vizinhas, gerando mais alimento e renda e completa: “Nós vamos também buscar mercados, porque hoje a gente produz e não tem onde vender; pra que as pessoas não saiam mais da zona rural para São Paulo e outros cantos atrás de serviços”.

A Associação Quilombola Brotas das Oliveiras, que pertence ao Território Rural de Cantagalo, município de Saúde, será contemplada com a construção de uma agroindústria de beneficiamento de frutas. O presidente da Associação, o jovem Vinicius Sena dos Santos,  lembra que a região tem  tradição no cultivo de banana e abacaxi e que ao longo dos anos as famílias de produtores locais nunca receberam os devidos investimentos para melhorar esse produção. “O Projeto Pró-Semiárido vai ajudar a gente a produzir as frutas e transformar em doces e derivados (…) e nós já estamos se desenvolvendo porque antes nós éramos esquecidos”, disse Vinicius, que  até planeja a realização de feiras regionais para expor e comercializar os produtos que serão beneficiados em Brotas das Oliveiras.

Marilene da Silva Pereira, presidente da Associação Comunitária de Cana Brava, comunidade que também pertence ao Território Rural de Cantagalo, lembra que as famílias de sua região optaram por investimentos em Quintais Produtivos com vistas ao cultivo de verduras e hortaliças, além da criação de aves. Marilene está confiante que os investimentos vão melhorar muito a vida das famílias que apostaram na criação galinhas. “Isso vai ser um incentivo para as comunidades e famílias que fazem parte desse projeto, que vão criar e produzir mais aves, que ainda são pouquinhas (…), será uma boa geração de alimentos como carne, ovos e também de renda”, espera a agricultora.

A Cooperativa de Trabalho e Assistência a Agricultura Familiar Sustentável do Piemonte (Cofaspi), de Jacobina, e a Cooperativa de Consultoria, Pesquisa e Serviço de Apoio ao Desenvolvimento Rural Sustentável (Coopser) de Feira Santana, foram contratadas pelo Pró-Semiárido para realizar a assistência técnica nos 12 Territórios Rurais e suas respectivas comunidades que em breve poderão obter importantes transformações econômicas e sociais a partir da diversidade da produção agropecuária gerada pela força da agricultura familiar.

Por: Agência Chocalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.