Juazeiro: Populares acionam SAMU para socorrer mulher, mas equipe não atende ao chamado

Segundo informações que chegaram ao portal Preto No Branco, uma mulher identificada como Adriana Maria, de 40 anos ficou sem o atendimento do Serviço Móvel de Urgência (SAMU) de Juazeiro-BA, após sofrer um acidente dentro de um transporte público. O fato teria ocorrido no fim da tarde de hoje (14), próximo ao Mercado do Produtor.

De acordo com uma passageira, a vítima, que é portadora de Fibromialgia crônica e Neuropatia, estava em um ônibus da linha Circular e teria caído após o motorista frear. Com o impacto, a mulher machucou as pernas.

Ainda de acordo com ela, o SAMU foi acionado e mesmo a sede do serviço ficando poucos metros de distância do local do acidente, o chamado não foi atendido. “A SAMU de Juazeiro está uma vergonha! Nós ficamos mais de uma hora dentro do ônibus esperando pela equipe do SAMU e nada. É muita irresponsabilidade”, declarou a passageira.

Ela informou ainda que após a espera, a mulher precisou ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) pelo motorista do ônibus. “Se não fosse o motorista, que teve a preocupação de socorrer a senhora, ela ficaria sem assistência. Mesmo com todos os passageiros dentro do ônibus, ele mudou a rota e levou a mulher para a UPA”, concluiu.

O PNB está  encaminhando a reclamação para a Prefeitura de Juazeiro.

Da Redação

5 Comentários

  • Gildemberg Soares do nascimento disse:

    Isso é Brasil, uma vergonha uma pessoa precisa de atendimento médico e n ter, um descaso com a saúde pública.

  • Joao disse:

    Quem tem que levar é o motorista mesmo . Esse irresponsável feia de todo jeito. São varios casos dessa forma todos os dias .

  • Márcia disse:

    Esses motoristas correm muito e quando Freiam eles não querem saber quem tá em pé ou sentado não por eles o povo tudo cai….Acontece isso direto principalmente essa linha circular.

  • Adriana disse:

    Boa noite!
    Sou a vítima do ocorrido, uma pessoa ainda longe da idade considerada idosa pois estou com 40 anos, podendo esclarecer que o motorista não teve culpa, pois o mesmo cumpria ordens para não liberar acesso as demais portas do ônibus a não ser a dianteira. Eu só venho a questionar primeiro a empresa, quando um passageiro não consegue adentrar no coletivo pela porta dianteira por não poder tirar a catraca, cadê o direito do cidadão à acessibilidade??? Em segundo lugar questiono a prefeitura por qual motivo nossos ônibus não estão sendo fiscalizados qt a questão de lugares para prioridades, pois vários ônibus eu pude presenciar a ausência de lugares identificados para idosos, deficientes/ gestante e lactantes. Essa situação estava prevista ocorrer qd é permitido coletivos circularem superlotados e com a parte anterior a catraca cheia arriscando até acidente pior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.