“Rainha da Paz”, novo EP do “Tio Zé Bá”, é lançado nas plataformas virtuais nesta quinta-feira (27)

“Mesmo não havendo guerras civis esperarei sempre a Rainha da Paz…”. Com esses versos, que compõem a música que dá título ao novo EP do Tio Zé Bá, o público é convidado a refletir e se deleitar com as seis faixas autorais do músico Maercio José, sendo três músicas inéditas e três regravações de discos anteriores.

O EP “Rainha da Paz” é o segundo do “Tio Zé Bá”. Em seu conceito e origem, traz composições de referências ancestrais, reunindo e mesclando diversos estilos. Tudo isso fruto de um caminho trilhado e lapidado através de muitas experimentações sonoras e encontros pelo mundo.

Depois da boa receptividade do público e da crítica com o disco anterior, “Galhos Concatenados” (2015), escolhido pelo Prêmio de Música de Pernambuco como o melhor disco de reggae do estado em 2016, o novo trabalho é uma produção independente do músico Maercio José.

Com muitas parcerias em todas as etapas de elaboração, o EP “Rainha da Paz” segue o ritmo do engajamento e alça novos voos mundo afora, com suas belas e potentes experimentações no estilo reggae, agregando também outras sonoridades, como o Rap/Hip Hop e a música eletrônica.

Além do lançamento do EP em todas as plataformas virtuais, nesta quinta-feira (27) será lançado também o clipe da música “Rainha da Paz”. Os shows de lançamento serão divulgados em breve. O EP já está disponível nas plataformas: Deezer, Spotify, YouTube e ITunes (clique aqui e acesse).

Faixas do EP “Rainha da Paz” 

A primeira faixa “Jamais serei o seu quintal” dá nome ao show do novo trabalho e traz versos como (“Quero deixar de ser periferia do mundo, se preciso for, vou fazer barulho”), pensando a identidade periférica construída a partir do reconhecimento de suas origens e dos valores que ela agrega. Um olhar sobre as periferias do mundo como locais de resistência, trazendo uma perspectiva crítica e denunciando as opressões do sistema. Embalada no ritmo frenético doraggamuffin, a música, além da sua representação engajada, também propõe a dança como celebração e empoderamento.

A segunda faixa “Dificil é catalisar” foi produzida em parceria com vários músicos do Brasil e do mundo. Ao ouvir, é possível construir diversas imagens no imaginário, conforme o movimento da música. Misturando ritmos que se inspiram no reggae jamaicano e no ragga, a letra carrega uma crítica social e política sobre a(s) realidade(s) e uma ideia de pertencimento sobre os espaços.

A terceira faixa, que dá nome ao EP, “Rainha da Paz“, é um love song, uma balada, com o refrão (“dançar meu amor com você é tão bom, mesmo fora do ritmo não importa o tom…”) e convida a quem ouve dançar junto. O som das águas em movimento no início e no final da música remete a uma sensação de saudade, a uma espera de um amor real ou que simplesmente pode ser uma imaginação/devaneio.

A quarta faixa “Listen Well To This Blue é uma regravação em inglês da música “Ouça Bem Esse Blues” (disco “Galhos Concatenados“). A versão, que traz um reggae acústico, é composta pela beleza dos violões que vão conduzindo toda a canção a um caminho de sensações.

A quinta faixa “Take Me To Paradise” é a segunda versão em inglês do EP (ambas com tradução de Verena) da música “Vem, Vem Para Eu Te Ver” (gravada no disco “Além do Mar” do projeto anterior Tio Zé Bá e Apocalypse Reggae/ZERO PROBLEM) revisitada com novos arranjos instrumentais, tendo a presença calorosa do estilo reggae roots.

A faixa (bônus) “25.006 – PE – Eu Não Sei” é a terceira regravação do novo trabalho e conta com a participação marcante do Rapper Euri Mania (membro do grupo P1 Rappers). Os versos são encorpados e retratam mensagens sociais e de resistência. A faixa também conta com a participação dos músicos Don Chandle e Carlalou1drop / London.

Lizandra Martins / Luis Osete 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.