Dono das Lojas Havan e apoiador de Bolsonaro intimida funcionários a não votarem nos candidatos da esquerda e PSDB

O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, em um vídeo que circula nas redes sociais, afirmou que faz pesquisas em suas lojas para saber em quem os funcionários vão votar nas próximas eleições.

O empresário vai mais longe e faz ameaças àqueles colaboradores que pretendem votar em branco, nulo ou na “esquerda”.

Luciano Hang, apoiador da candidatura de Jair Bolsonaro (PSL), antes de ameaçar os colaboradores, diz que, caso a esquerda ganhe a disputa, ele vai “jogar a toalha” e “repensar nosso planejamento”.

“Talvez, a Havan não vai abrir mais lojas. E aí se eu não abrir mais lojas ou se nós voltarmos para trás. Você está preparado para sair da Havan? Você está preparado para ganhar a conta da Havan? Você que sonha em ser líder, gerente, e crescer com a Havan, você já imaginou que tudo isso pode acabar no dia 7 de outubro?”

O empresário diz também que se a “esquerda” ganhar, “nós vamos virar uma Venezuela”.

De acordo com o empresário as pesquisas internas mostraram 30% dos colaboradores da Havan votarão branco e nulo.

E nas declarações, coage os funcionário.

“Depois não adianta reclamar. Se você não for votar, se você anular seu voto, se você votar em branco e depois do dia 07 nosso país lamentavelmente ganha a esquerda e nós vamos virar umaa Venezuela. Vou dizer para vocês, até eu vou jogar a toalha”.

O deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), no Twitter cobrou de Raquel Dodge, procuradora-geral da República, um posicionamento diante das declarações do empresário.

“Dra Raquel Dodge. A senhora não vai tomar providências em relação ao Senhor Luciano Hang, dono das Lojas Havan, que está ameaçando funcionários que não fazem campanha para o coiso?”, indagou Teixeira.

Veja o vídeo:

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.