“A grande tarefa”, por Ivania Freitas

Como disse em uma fala anterior, não importa o resultado das eleições, nós já perdemos e muito!

O bom amigo, Professor Mauricio Vidal, me lembrava da missão que se estende à nossa frente e eu o agradeço por sua sensibilidade, por não me deixar esquecer do porquê das nossas lutas.

Nestes tempos de intempéries, se lança a oportunidade de vivenciarmos, de forma exigente e desafiadora, os princípios que divulgamos toda uma vida, sobretudo, nesse momento de uma história que parece insistir se repetir.

É quando nosso coração está na corda bamba e a barbárie nos choca a alma, que somos convocados a exercitar o amor, alimentar a esperança, a bondade e a coragem.

Temos a missão de resgatar nossa humanidade!

E para isso, vamos juntar um batalhão de homens e mulheres. Todos e todas que se dispuserem a compor a resistência dos que não se acorvadaram na luta pelos nossos filhos, pelos jovens ( seu presente-futuro); pelos excluídos, humilhados e violentados seja pela pobreza econômica, política, intelectual e ou cultural .

Nessa luta que estamos sendo convocados, as armas serão:
A Pedagogia do Oprimido, para nos ensinar a ver quem somos e que lugar ocupamos;

Os círculos de cultura nos farão um coletivo fortalecido por sabermos que não estamos sós e sim, juntos nas lutas.

As escolas de formação política nos ajudarão a ver o mundo na sua contradição e dialética;

E, vamos retomar os estudo dos clássicos, as sociedades literárias, os clubes de leitura, para aprendermos a analisar a realidade à luz da história e assim, banir para longe, a ignorância que nos empurra em alta velocidade, para um abismo assombroso e sem fim.

As artes serão nosso escudo. Contra as lágrimas, teremos o antídoto do riso.
Do Teatro do Oprimido, nascerão as novas lideranças e outras mentalidades sensíveis serão formadas.

Resistiremos, todos e todas, de forma inteligente e humanista, com toda ternura que temos no peito, com toda ousadia que carregamos na alma.

Resistir para existir.
Essa é a nossa tarefa para daqui em diante.

Com esperança, coragem e afeto,

Profa. Ivania Freitas
Senhor do Bonfim, outubro de 2018.

4 Comentários

  • Adelice Morbeck disse:

    Orgulho de conhecer pessoas como Vc!
    Vc me representa amiga .
    Tenho fé! A luta vale a pena

  • Paulinho Vasconcelos disse:

    Resistiremos, assim como sempre tivemos a capacidade de resistir mais uma vez resistiremos. Resisto hoje buscando me compreender e me fortalecer para poder contribuir para o fortalecimento dos meus pares, e que assim sigamos e que consigamos construir uma conexão forte entre os nossos iguais para assim poder passar por mais este período de surrealidade política brasileira.

  • Tiala disse:

    Lindo texto! Importante cultivar os bons sentimentos nesse processo de luta que enfrentamos.

  • Maria Auderian Santana disse:

    com certeza, tivemos um pouco da doçura do que seria um país desenvolvido com toda a sua beleza em diversidade ambiental e cultural! As universidades coloridas com as cores dos povos indígenas quilombolas, filho agricultores ,trabalhadores catadores de material e mulheres sim foi uma explosão linda de representações Brasileiras. E tenho certeza que o caminho é a democracia e nem um direito a menos! Resistência e Poesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.