“Vocês serão banidos! Escórias! O mito vem aí”, diz carta direcionada a estudantes e professores da UFPE

A imagem de uma carta direcionada a estudantes e professores do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), está circulando nas redes sociais. Com ameaças e insultos, os autores do texto intimidam nominalmente cerca de 20 pessoas.

Com o título “Doutrinadores e alunos que serão banidos do CFCH-UFPE, em 2019”, a carta, que não tem assinatura, anuncia no final  “vocês serão banidos! Escórias! O mito vem aí”, em referência ao presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

No texto os alunos e professores ainda são chamados de “viados”, “comunistas”, “feminazis”, “invasores”, “prostitutas”, “degenerados” e “defensores de travecos”.

Os professores mencionados abordam em suas aulas questões de gênero, políticas anti drogas, desigualdades, violência e conflitos sociais. A carta também foi distribuída no CFCH da UFPE em forma de panfleto.

Em sua página no Facebook, um dos primeiros citados da lista, o sociólogo José Luiz Ratton afirma que os ataques são, fundamentalmente, ofensas às várias e desejáveis formas de afirmação da cidadania brasileira, à autonomia da universidade pública, às liberdades civis e à democracia. “O objetivo destes grupos não democráticos é espalhar pânico e desinformação em um momento tão crítico da história do país. Não podemos cair nestas armadilhas, mas também não podemos permitir retrocessos e ameaças. Serenxs e altivxs, vamos continuar pesquisando, estudando, ensinando, aprendendo, participando, exigindo nossos direitos e vivendo nossas vidas”.

A professora da UPE e ex- aluna da UFPE, Janaína Guimarães, se manifestou em sua página do Facebook, em solidariedade as vítimas da ameaça, algumas que foram seus professores. “Toda minha solidariedade as professoras e professores do CFCH ameaçados por uma mal escrita carta no dia de hoje. Vocês são responsáveis pela minha formação e de tantas outras professoras desse imenso Brasil. São e somos essa luta por uma educação democrática. Estamos juntas e juntos e não calaremos!”, declarou a professora.

Em nota divulgada hoje (07), a Reitoria da universidade repudiou os insultos e ameaças sofridas pelos professores e alunos e determinou a abertura de uma sindicância interna para investigar o caso.

O texto diz ainda que a instituição acionou o Ministério Público e à Polícia Federal para que os fatos sejam devidamente apurados. Veja a nota na íntegra:

Na tarde de hoje (7) também aconteceu um ato em defesa da democracia, da Universidade e dos membros da comunidade acadêmica em frente ao Centro de Filosofia e Ciências Humanas da UFPE, em Recife.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.