Juazeiro: Sem ambulância há seis meses e sem atendimento noturno, moradores de Itamotinga reclamam e SESAU justifica

(foto: reprodução/Whatsapp)

Moradores do distrito de Itamotinga, distante 72 quilômetros de Juazeiro-BA, procuraram a redação do Portal Preto No Branco para reclamar do serviço prestado na única Unidade Básica de Saúde que atende a comunidade. Um dos problemas, é a falta de ambulância para socorrer pacientes que precisam ser encaminhados para hospitais da região.

“Estamos há quase seis meses nesta situação. A comunidade está sem ambulância desde o dia 26 de junho e desde então todas as formas de solicitação do serviço já foram feitas. Inicialmente, fomos informados que o veículo que atendia Itamotinga havia quebrado e estava em conserto, mas que logo estaria de volta. Depois disseram que não poderiam fazer nada no período eleitoral. Posteriormente informaram que tinham licitações de novas ambulâncias e que estavam tomando as medidas cabíveis, mas até agora o problema não foi resolvido”, relatou o morador Everton Oliveira.

Ainda de acordo com ele, por conta da situação, muitos usuários do serviço estão sendo prejudicados.

“Ambulância é uma necessidade básica e urgente. Muitas pessoas necessitaram do serviço para serem levadas ao hospital e não tiveram esse auxílio. Uma criança de apenas três anos passou mal e como o pai não tinha transporte, não teve como levar o filho para a sede, pois já eram 23 horas. Tem gente tendo que pagar um frete de R$ 300,00 para conseguir socorrer seus familiares”, acrescentou o morador.

De acordo com a moradora do distrito, Leila Senna, esse não é o único problema que a comunidade vem enfrentando na área da saúde. Ela informou que a UBS, que também funciona com Unidade de Pronto Atendimento, não está atendendo a comunidade durante o período noturno.

“Aqui só temos essa unidade de saúde para atender todo o nosso distrito. Desde o último domingo o posto não está abrindo. Quando precisamos procurar o local com alguma emergência, encontramos apenas os portões fechados com cadeados. Além da falta de ambulância, agora estamos sofrendo também com a falta de atendimento dos enfermeiros e médico na comunidade durante a noite. Quando procuramos o motivo, eles informaram que não estava tendo combustível para os transportes dos profissionais, que ficam impossibilitados de se deslocarem para a unidade”, contou a moradora.

(foto: reprodução/Whatsapp)

O distrito de Itamotinga tem cerca de 21 mil habitantes e mais de dez povoados.

Os moradores apelam por atenção “Pedimos que a prefeitura, juntamente com a Secretaria de Saúde, disponibilize uma ambulância para dar assistência ao distrito de Itamotinga e que resolva o problema de combustível dos transportes dos profissionais que atendem nossa comunidade”.

O PNB entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde, que em nota informou “que as ambulâncias estão na sede para manutenção e assim que estiverem prontas para o uso serão encaminhadas novamente para os distritos para atender às demandas da população”.

Já em relação ao  atendimento do posto de saúde 24 horas, a Sesau declarou que “está faltando uma equipe de atendimento que ficava no período da tarde. O município já está providenciando a contratação emergencial de novos médicos”.

Da Redação

3 Comentários

  • Luciana Mariana Dantas Pereira disse:

    Bom ,espero que o nosso prefeito veja a situação de Itamotinga que precisa da ambulância para servir a toda comunidade de Itamotinga e região , sensibilizo com esta situação que está acontecendo,peço em carecidamente ao setores responsáveis para amenizar está situação de cada moradores e servidores de Itamotinga.

  • Lilian Oliveira dos Santos disse:

    Será mesmo q vamos sermos atendidos????Esse descaso com a nossa população vem de anos agora só piorou a situação.Lamentável mas está faltando respeito á nossa vida não nos reconhecem como seres humanos q temos a saúde como prioridade.

  • Ivonete de Souza Rodrigues disse:

    Eu também fui prejudicada com a falta da ambulância pois estava fazendo fisioterapia, não somente eu mais tantos outros q faziam comigo e tiveram q interromper o tratamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.