Livro do poeta Manuca Almeida será lançado no Quintal do Poeta neste domingo (16)

No particular, gostávamos de brincar repetindo uma espécie de bordão: “a palavra em primeiro plano”. Não sei de onde tirei esta provocação, se de um poema dele, um texto que ele me mostrou ou que tenha sido simplesmente uma frase que ele mencionou numa conversa sobre poesia.

Isso não acontecia por acaso. Corriqueiramente esta dimensão que buscava o poema novo que ele mostrava. Era isso, enfim, o que ele estava sempre perseguindo, buscando sempre trazer a palavra para o primeiro plano. O tempo inteiro burilando com as palavras, tentava em cada obra reunir sentido, sentimento, pensamento e ação pela combinação das benditas palavras.

Sem fazer estatística, posso afirmar que o livro COESIA  que será lançado dia 16 de dezembro, data do aniversário de Manuca, a palavra que mais aparece em seus poemas é amor. O pensamento dele sempre a serviço de uma ação que fortalecesse este sentimento e desse este sentido à palavra. Poderia ser dele o verso de Maiakovski: “comigo a anatomia ficou louca, sou todo coração”.

Aliás, a inspiração que o faz fazer versos curtos, quase haicais, está enraizada naquela mesma motivação que a urbanidade fez poetas como Maiakovski buscarem construir poemas minuto, poemas feitos para uma leitura rápida, que sejam objetivos e impactantes. Poemas para serem lidos nas estações de metrô, em outdoors, nas redes sociais, repetidos por Zap, divulgados em produtos, estampados em camisas etc. Enfim, poemas urbanos, feitos para atuar em suas artérias, feitos para fazerem parte de nosso cotidiano.

Assim fazia Manuca, com um profundo respeito pela palavra ele estava sempre buscando um meio de fazê-la parte de nosso cotidiano, pondo a poesia em toda parte. A PALAVRA EM PRIMEIRO PLANO.

Armando Almeida

“ Se não fosse o poeta eu não existiria” . Manuca Almeida

O  livro Coesia, que será lançado  domingo dia 16 de dezembro às 19h no Quintal do Poeta, data que o poeta Manuka Almeida completaria 55 anos , foi quase todo  escrito em Barretos- SP  enquanto fazia tratamento.

Algumas poesias novas, outras  antigas, quase todas cuidadosamente escolhidas por ele e por mim, como em todos os outros trabalhos em que a família sempre presente, o livro Coesia foi produzido por Lu Almeida e o projeto gráfico assinado pela designer Dandara Almeida. As fotos são de Amanda Dutra, Zelito Rodrigues e Lu Almeida.

A entrada para o lançamento será um quilo de alimento ou cesta básica e a pessoa pode doar para a instituição  filantrópica Complexo Luz .

Este projeto foi contemplado no Edital do Programa Usina Cultural da Prefeitura de Juazeiro, através da SECULTE.

Lu Almeida 

1 comentário

  • Marcos Velasch disse:

    Apesar de nao ter tido tanta aproximação com Manuka Almeida, bastava cruzar com ele pelas ruas e eventos da cidade para sentir sua alma de poeta e a soberania e o adiantamento do seu espirito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.