Debate sobre causas e desdobramentos do rompimento da barragem de Brumadinho acontece hoje (22) na Univasf

(foto: reprodução)

Acontece hoje (22) no auditório da biblioteca da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), no Campus Sede, em Petrolina (PE), uma mesa de debate que vai discutir as causas e desdobramentos do rompimento da Barragem de Brumadinho/MG, e os impactos no Rio São Francisco. O debate acontecerá das 19h às 21h e é aberto para toda a comunidade.

Segundo a integrante da organização do evento, Carlaíse Freitas Gomes, a iniciativa tem o intuito de “chamar a atenção das instituições, dos estudantes e dos demais setores da universidade para debater e construir coletivamente, ações concretas que possam reverter a situação em que se encontra a bacia do São Francisco e que atinge diretamente a vida de milhares de ribeirinhos, comunidades tradicionais, como povos indígenas, quilombolas e fundo de pasto”.

A mesa será composta pelo reitor da Univasf, Julianeli Tolentino de Lima, representando o Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF); pelo pró-reitor de Extensão em exercício da Univasf, Nilton de Almeida; pela professora do Colegiado de Ciências Biológicas e coordenadora do Centro de Conservação e Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna Caatinga), Patrícia Nicola; pela professora do curso de Jornalismo em Multimeios da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) Márcia Guena; e pelo representante do MAB Roberto Oliveira.

O evento integra uma agenda de mobilização nacional que vem acontecendo em solidariedade às vítimas e também em defesa do rio São Francisco. Haverá emissão de certificados aos participantes.

Promovido pelo Diretório Acadêmico (DA) de Ciências Biológicas, o evento conta com apoio das Pró-Reitorias de Ensino (Proen) e de Extensão (Proex) da Univasf, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) e da Frente Brasil Popular.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.