Um mês após morte de criança baleada durante ação policial em Maniçoba, Major da 74ª CIPM fala sobre investigações do caso

(foto: reprodução/WhatsApp)

Passados 30 dias da morte de Gustavo Henrique, criança de 4 anos baleada durante uma operação policial no distrito de Maniçoba, zona rural de Juazeiro, o Preto no Branco conversou com o Major Irlam Gouveia de Mattos, Comandante da 74ª Companhia Independente de Polícia Militar (74ª CIPM) para saber como andam as investigações do caso. A criança foi atingida por um disparo de arma de fogo no dia 21 de dezembro e ficou internada mais de um mês.

De acordo com o Major, desde quando aconteceu o fato, foi aberta uma portaria para apuração do caso. “A Polícia Militar, administrativamente, a Polícia Civil, formalmente, estão em andamento com as apurações. Para a completa conclusão, são necessários laudos periciais do Departamento de Polícia Técnica, porém, tais laudos demandam tempo. Mas todos os procedimentos estão em andamento”, garantiu o Comandante da 74ª CIPM, companhia que realizava a operação na comunidade no dia que a criança foi baleada.

O caso

Gustavo Henrique morreu no dia 27 de janeiro no Hospital Universitário (HU) de Petrolina, onde ficou internado  por mais de um mês. Segundo informações de testemunhas, o disparo foi efetuado por um Policial Militar durante uma perseguição à um homem que estava em uma motocicleta, no distrito de Maniçoba. O menino, que passava com a mãe pelo local, acabou atingido na barriga.

Gustavo foi socorrido às presas por populares e com ajuda dos policias foi levado para o HU, em Petrolina, onde passou por alguns procedimentos cirúrgicos, mas acabou não resistindo.

Na época, a  74ª CIPM Rural se solidarizou com a morte do garoto e informou que os procedimentos administrativos já haviam sido iniciados.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.