Mãe de aluna do Colégio Auxiliadora denuncia que a instituição está descumprindo lei de Direitos Autorais

    (Imagem ilustrativa/Reprodução internet)

 

A leitora Hedjane Maria Alves enviou ao Portal Preto No Branco, uma reclamação sobre Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina-PE. De acordo com ela, que é mãe de uma aluna da instituição, até o momento os livros didáticos deste ano não foram entregues.

 

 

“Com base na relação de material didático 2019 somos obrigados a comprar os livros na Editora EDEBÊ. Os livros foram liberados para compra em 15/01/2019. Minha compra e liberação da Nota Fiscal foram feitas em 20/01/2019. Ainda com base na publicação do próprio Colégio, estes livros seriam entregues no 1° dia de aula(01/02/2019) sendo que até o momento os livros ainda não foram entregues. Eu paguei por um produto que não recebi. Cumpri os prazos dados pelo colégio, mas o próprio colégio não cumpriu a data estabelecida para a entrega dos livros. Tem um desrespeito ao Direito do Consumidor, nesta irregularidade também “, relatou.

 

 

Hedjane denunciou ainda que o Colégio está realizando uma prática proibida por lei. “Busquei informações na tesouraria e fui informada que a editora está liberando aos poucos, pedi informações por escrito no diário da aluna e recebi uma ligação da coordenação da turma informando que estavam sendo feitas cópias dos livros até que estes fossem entregues. Ora, o Colégio cita em sua publicação “Por solicitação e cumprimento da Lei de número 5.988/73 dos direitos autorais, ficam determinantemente proibidas cópias ou impressões de livros didáticos ou literários que não sejam de domínio público”, sendo que o próprio Colégio está passando por cima de sua própria determinação”, afirmou.

 

Ela finalizou criticando a postura da instituição diante do problema. “Diante deste absurdo, nenhum comunicado por escrito foi feito pela direção do colégio, ou seja, para os pais, somente o silêncio e o desrespeito. Eles não estão dando importância a este problema. Basta! Diante disso, deixo aqui minha insatisfação aguardando a chegada e entrega dos livros de minha filha”, concluiu.

O PNB está encaminhando a reclamação da leitora para o colégio.

Da Redação

6 Comentários

  • Fátima disse:

    Interessante que o “silêncio e desrespeito” do Colegio vem de muito tempo. Principalmente com relação ao CASO BEATRIZ. Nao sei porque os pais estranham essa postura agora. Mas sei eh porque mexeu no bolso e com os filhos de vcs ne????

  • Esmelinda disse:

    Dia 15/01 foi liberado para retirada dos livros na escola , eu comprei com antecedência e retirei os livros na escola nessa data . Acomoda foi liberada logo após as matrículas

  • Mara Cristina disse:

    Absurdo mesmo é vc deixar seu maior bem permanecer neste matadouro, contribuindo para que este lugar permaneça funcionando!!

    Incoerência é se assustar com um colégio retirar xexox de material, e se sentir confiante em deixar sua filha na boca do leão!

  • Nubia disse:

    Nenhuma uma surpresa pra mim o Auxiliadora trabalhar irregular. Pra quê mais irregular e desumano como foi tratado o caso da morte de uma criança? Eu sinceramente não colocaria meu filho ai nem de graça.

  • Meg disse:

    Os livros foram disponibilizados para compra logo após a matrícula e começaram a ser entregues no dia 15/01. A mãe não leu ou não entendeu o comunicado. Quanto às cópias, não vejo nada ilegal, já que os livros são de uma editora própria. Portanto A ESCOLA pode copiá-los. A mãe não pediu os livros em tempo hábil, assim entendo que a escola está sendo generosa por permitir que ela utilize cópias.

  • Dilma disse:

    Literalmente o povo gosta de Fazer tempestade Em Tampinha de Coca-Cola Isso SIM ….
    Polpe -Nos!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.