CNJ apura denúncia de supostas “condutas irregulares” de desembargadora baiana

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) investiga uma denúncia feita contra a desembargadora do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), Sandra Inês Moraes Rusciolelli Azevedo.

Em despacho recente, o corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, intimou a magistrada para apresentar, em 15 dias, informações a respeito da denúncia que trata de supostas “práticas de condutas irregulares, inclusive de aspecto criminal”.

No documento, o ministro pede ao Tribunal de Justiça que remeta ao CNJ um relatório a respeito da nomeação de Patrícia Andréa Santos Ribeiro para um cargo no Judiciário. O corregedor quer saber quem indicou a funcionária, quais os rendimentos recebe e qual a formação técnica ou acadêmica. O pedido também se estende sobre a situação de Almir Santos, apontado como motorista da desembargadora. Outro questionamento que o CNJ faz é se há algum filho da magistrada ocupando cargo no TJ-BA.

A reportagem entrou em contato com o Tribunal de Justiça da Bahia pedindo um posicionamento sobre o assunto, mas ainda não teve retorno.

BN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.