Menos de 15 dias após ser instalada, iluminação da Orla Fluvial sofre ação de vândalos; cidadãos cobram segurança e manutenção do espaço

Iluminação Pq Fluvial 14
Iluminação Pq Fluvial 13
Iluminação Pq Fluvial 6

(foto: reprodução/SEDUR)

No início deste mês de abril, as obras do Parque Fluvial de Juazeiro foram contempladas com um novo sistema de iluminação, demanda cobrada por muitos cidadãos que frequentam o local para a prática de esportes e lazer, em virtude do clima de insegurança ocasionado pela escuridão total ou parcial em determinados pontos. Em menos de 15 dias, entretanto, o sistema, que está em fase de execução, tem sido alvo de atitudes criminosas que estão comprometendo o bom funcionamento do serviço.

De acordo com a equipe de engenharia da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR), responsável pela fiscalização da obra, do montante de R$ 3,5 milhões orçados para custear a obra, R$ 510 mil estão sendo destinados para a iluminação. Cerca de 65% da iluminação do Parque já foi concluída, segundo a secretaria.

Apesar de trazer benefícios para a população juazeirense que frequenta o espaço, a obra está sendo alvo de atitudes criminosas. Neste último final de semana, um refletor em LED foi furtado, e ligações clandestinas na rede elétrica foram irregularmente executadas, o que ocasionou sobrecarga nos circuitos, fazendo com que a iluminação fosse interrompida.

Nas redes sociais, internautas se mostraram inconformados com ato de vandalismo.

“Lamentável! Povo mal educado e sem costume! Depois reclamam dos políticos e até da própria cidade”, escreveu um leitor do PNB.

“É muito vandalismo em uma cidade só. Enquanto não forem punidos, Juazeiro nunca vai conseguir ter nada”, considerou outro. “Isso não me surpreende. Lembro que anos atrás roubaram até da ponte Presidente Dutra. Lamentável”, relembrou um internauta.

Ação vândalos Pq Fluvial 2
Ação vândalos Pq Fluvial 1
Ação vândalos Pq Fluvial

(foto: reprodução/SEDUR)

Das 180 luminárias em LED previstas para promover a iluminação do Parque Fluvial, cerca de 106 foram instaladas (refletores de LED com potência de 200w nos postes da parte superior da orla, direcionados para o Parque, e refletores de LED 150w em parte da extensão do paredão), segundo a SEDUR. Para concluir a etapa de iluminação, estão pendentes apenas a instalação do cabeamento da orla antiga e das luminárias. A previsão é concluir até o início de maio.

Guarda Municipal

Leitores do PNB questionaram sobre a atuação da segurança pública do município. “Cadê os guardas municipais?”, questionou uma internauta. “Uma base da guarda no local é de extrema importância para garantir o patrimônio público e a segurança dos usuários”, acrescentou outra.

O portal entrou em contato com a Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) de Juazeiro para saber se algum planejamento para reforçar a segurança não somente dos transeuntes, como também dos equipamentos da Orla Fluvial de Juazeiro, está sendo desenvolvido.

A companhia informou apenas que já existe um grupo de motopatrulhamento da Guarda Municipal da cidade que atua diariamente no Parque Fluvial, das 12h às 00h, e que pela manhã a segurança é reforçada pelo grupamento de ciclismo.

Outras queixas

Cidadãos juazeirenses fizeram outras reclamações no que diz respeito a manutenção do espaço público da Orla da cidade.

“O que prejudica também é o mato e muito cachorro sem dono solto na margem do rio”, afirmou uma leitora do PNB. Outro falou da falta limpeza do espaço.

“Ontem fui dar uma volta na orla e já notei sintomas de abandono de uma obra que nem foi inaugurada oficialmente.
Juazeiro está um caso sério quando se fala em manutenção das obras. Capina, limpeza e manutenção não precisa de licitação. Basta ter planejamento e vontade por parte da secretaria responsável. Será que as obras só recebem a atenção da prefeitura quando necessitam de verbas?”, questionou.

“O local onde será embarque das barquinhas, que foi limpo e passou por reformas há pouco tempo, está um caos. Sujo, um mal cheiro horrível, continuam fazendo necessidades fisiológicas e as infiltrações dos bares acima não foram arrumadas. Ou o povo se educa ou sempre será dessa forma. É necessário fiscalização comprometida com a função. Se o vaporzinho que é visível já está se acabando, imagine lá embaixo”, completou outro internauta.

Investigação

Em contato com o PNB, a SEDUR informou que a empresa executora da obra já registrou um Boletim de Ocorrências (BO) na polícia e que vai aguardar que os órgãos responsáveis pela segurança pública apurem o caso.

Até o momento, não há relatos, nem de testemunhas e nem de imagens, que possam servir de prova e identificação dos suspeitos do crime de vandalismo na Orla Fluvial da cidade.

Crime

O crime de dano ao patrimônio público ou privado é crime é previsto do artigo 163 do Código Penal, que estabelece que destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia pode resultar em pena de detenção de seis meses ou multa.

Entretanto, a pena pode ser aumentada em caso de dano qualificado, quando a detenção pode variar de seis meses a três anos, e multa, além da pena correspondente à violência.

Da Redação por Thiago Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.