Eventos sobre saúde mental e atenção psicossocial acontecem neste mês, em Petrolina

(foto: arquivo/Numans)

Reafirmando seu propósito de seguir lutando por um cuidado territorial em Saúde Mental, na lógica da Atenção Psicossocial, e por uma sociedade sem manicômios, o Núcleo de Mobilização Antimanicomial do Sertão (Numans), projeto da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), vai promover, neste mês de maio, eventos para refletir sobre a saúde mental.

A programação, que começou com a venda de imãs libertários e conversas sobre o tema durante o Festival Aldeia Vale Dançar, no 1º de maio, no SESC de Petrolina, segue em 18 de maio, considerado o Dia Nacional de Luta Antimanicomial, com a realização de um sarau ético-estético-político que tem como tema “Tá Pintando Loucura na Praça”. O evento acontecerá na praça 21 de Setembro, situada no Centro de Petrolina, a partir das 17h.

Já no dia 28 de maio vai ser realizado o “Seminário Saúde Mental e Atenção Psicossocial na Rede PE-BA” no auditório da biblioteca da Univasf, Campus Petrolina, das 8h às 12h, em parceria com Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e do programa de Residência Multiprofissional em Saúde Mental (RMSM) da Univasf.

Numans

O Numans compreende que a defesa da produção de cuidado em Saúde Mental, com ampliação de acesso, é um
posicionamento político necessário, sendo urgente o fortalecimento da participação popular, através da promoção do
protagonismo, especialmente de usuárias, usuários e familiares, articulados com os demais agentes e movimentos
sociais. O núcleo pauta a importância de modos de cuidados que levem em consideração a singularidade de cada pessoa e seu modo de inserção no mundo, em contraposição aos modelos hegemônicos, generalizantes e prescritivos, que se desenvolvem sob a batuta da hegemonia do saber biomédico e do fenômeno da medicalização do social.

Assim, a Numans aposta na promoção de vias de cuidado democráticas e integrais, que ocorram no território, articuladas por Redes de Atenção Psicossocial/RAPS fortalecidas, com pontos de atenção diversificados, em que os CAPS assumem caráter estratégico na organização de projetos terapêuticos singulares.

O grupo também reforma o compromisso com a Política Nacional de Saúde Mental/PNSM de caráter antimanicomial, por entender que a Reforma Psiquiátrica está em curso, tendo avançado significativamente na substituição de uma lógica de cuidado excludente, centrada no hospital e em práticas de controle. O núcleo também objetiva fortalecer a Atenção Psicossocial nos municípios que integram a Rede Interestadual de Atenção à Saúde no Vale do Médio São Francisco/Rede PEBA, para a qual Juazeiro-BA e Petrolina-PE são referência.

O Numans critica e rejeita os retrocessos na PNSM, operados pela Portaria 3588/2017 e recente Nota Técnica
11/2019, além da Política sobre Drogas do Governo Bolsonaro, que exclui a Redução de Danos como paradigma de
cuidado e aposta na repressão.

“Não aceitamos a narrativa de uma “nova” política, que claramente reforça o retorno à lógica manicomial. Acumulamos experimentações nas redes, confirmadas por pesquisas e estudos diversos e boletins “Saúde Mental em Dados”, emitidos pela Coordenação de Saúde Mental até 2015, garantindo transparência aos investimentos na RAPS e seus efeitos e, por isso, não é possível aceitar os retrocessos”, considera o grupo.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.