Estudantes universitários realizam manifestação contra o sucateamento da educação e a reforma da previdência nesta quarta-feira (15)

(foto: divulgação/Anna França)

Estudantes da Universidade Estadual da Bahia (Uneb), da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), do Instituto Federal da Bahia (IFBA) e da Universidade de Pernambuco (UPE), sairão às ruas nesta quarta-feira (15) para protestar contra o sucateamento da educação pública. A manifestação integra a programação da Greve Nacional da Educação, prevista para acontecer em diversas cidades do Brasil.

Para Luana Brand, estudante do curso de Ciências Sociais da Univasf, o corte orçamentário de 30% sofrido pelas universidades e institutos Federais afeta diretamente o funcionamento básico da instituição. A estudante defende ainda o fortalecimento dos cursos de Ciências Humanas, tendo em vista a proposta do governo de cortar a verba destinada a esses cursos.

“Vamos lutar contra um governo que não está nem aí para os estudantes, nem para a universidade pública, gratuita e de qualidade. Ele só quer sucatear, para que não exista questionamentos, para que não exista pensadores intelectuais, ou seja, para que a academia não produza. Esse corte de 30% é mais uma manobra política para afastar os pobres da universidade. Têm estudantes que dependem dos auxílios (estudantis), e sem eles, não têm como se manter na universidade”, ressaltou.

O sucateamento das universidades estaduais da Bahia e do Pernambuco, que também sofrem com o contingenciamento da verba orçamentária, promovido pelos respectivos governos estaduais, também serão pautados na manifestação. Na Bahia, as quatro universidades estaduais estão em greve há mais de 30 dias.

Além de professores e servidores das universidades e institutos federais, membros de movimentos sociais e centrais sindicais também devem participar da manifestação, que também tem como pauta a não aprovação da reforma da Previdência, encaminhada ao Congresso Nacional pelo Governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Mobilização na região

Em Juazeiro, o ato público está sendo organizado pela Frente Brasil Popular. A mobilização terá início às 08h30, em frente ao INSS, na Avenida Adolfo Viana, e seguirá em direção a Praça Barão do Rio Branco (rua dos bancos). Durante o percurso haverá falas de representantes de movimentos sociais e sindicatos, intercalada com animação de uma banda.

Já em Petrolina, o movimento está sendo organizado pelo Sindicato dos Servidores Municipais de Petrolina (SINDSEMP), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE). A concentração será a partir das 8h na Praça do Bambuzinho, centro da cidade. O PNB não obteve informação se o ato percorrerá as ruas da cidade.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.