Oposição denuncia: São João de Petrolina sob suspeita de irregularidades no processo de licitação; empresa de Juazeiro foi ganhadora

(foto: divulgação/PMP)

Na sessão desta quarta-feira (18), da Câmara Municipal de Petrolina, o vereador Gabriel Menezes (PSL) denunciou os valores cobrados na festa popular, chamando-a de “Arraiá da Extorsão do Prefeito Miguel Coelho”. Gabriel enumerou as taxas cobradas aos motoristas de aplicativos, barraqueiros e até garçons, para trabalharem no evento. “O que é que entra para o município deste recurso? Destes milhares arrecadados naquela noite?”, questionou.

O vereador também fez uma comparação do valor da cerveja comercializada na festa. “Uma dúzia de latinha de cerveja Itaipava custa R$ 19,50 nos hipermercados. Os barraqueiros, que já estão sendo extorquidos, estão pagando R$ 36 na mão dos organizadores”, disse Gabriel que afirmou ainda ser um “verdadeiro assalto” o que a gestão estaria praticando. Na opinião dele, “não adianta atrair o turista para extorqui-lo”.

O vereador cobrou um posicionamento do gestor municipal. “Não se pode somente atribuir a concessionária do evento, isso tem a responsabilidade direta do Prefeito Miguel Coelho”, disse.

Vereadores da oposição de Petrolina (fotos: reprodução)

Processo licitatório

Também na sessão de ontem, o vereador Paulo Valgueiro (MDB), líder da oposição na Câmara, disse que já está com a cópia do processo licitatório do São João e que iria analisá-lo, já que teve negado um requerimento anterior solicitando o processo. Ele afirmou que a negativa foi uma forma de “blindar o prefeito”, abrindo margem para que ele desconfiasse que poderia haver algo de errado.

De acordo com informações apuradas pelo PNB, a empresa responsável pelo evento em Petrolina é a Opará Estruturas LTDA, que tem sede em Juazeiro, que ganhou o direito de fazer toda captação de recursos para a festa junina.

Suspeita de irregularidade

Em entrevista ao PNB, Paulo Valgueiro afirmou ter protocolado no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e no Tribunal de Contas do Estado (TCE), uma representação solicitando que os órgãos apurem a suspeita de irregularidades no processo de licitação da festa. De acordo com o vereador, há suspeita de um esquema de “triangulação” para encobrir quem de fato está a frente do evento, e que seria a BG Promoções e Eventos Musicais Ltda, que tem como sócios Bruno da Silva Rego e Manoela Gomes Furtado, esposa de Bruno Rego.

Rumores dão conta que o empresário Bruno Rego seria amigo pessoal do prefeito Miguel Coelho (sem partido). O empresário atua nos principais eventos do Estado de Pernambuco, fazendo prospecção de patrocínios privados para festas de carnaval e São João em várias prefeituras.

Nos anos de 2017 a BG Promoções e Eventos Musicais Ltda foi escolhida para gerir o São João de Petrolina. Já em 2018, a Faz Live Marketing e Publicidade Ltda, que também pertencente a Manoela Gomes Furtado, e Rafael Raposo, funcionário do empresário, conquistou o mesmo processo para comandar todo o São João.

A BG Promoções e Eventos foi criada em 2007 com um capital de R$ 70 mil; a Faz Live foi criada em 2016 com um capital de R$ 100 mil reais. Já a Opará Estruturas LTDA, foi criada em 2006, com um capital de R$ 600.250. Esta última pertence aos sócios Mamede Musser Neto e a Habib Grave Musser, filho e pai, respectivamente.

Denúncia ao MPPE (foto: arquivo)

Triangulação

Na edição do Palavra de Mulher desta quarta-feira (19), o vereador Gabriel Menezes confirmou a suspeita da oposição de que estaria ocorrendo uma triangulação. Ou seja, segundo ele, a Opará estaria sendo usada como empresa de fachada e que a gestão da festa estaria sendo feita por outro grupo, no caso alguma empresa ligada a Bruno Goes.

“Quem manda no São João é o empresário Bruno Rego, do Recife. No primeiro ano, Abdon ganhou, mas quem mandava no São João era Bruno Rego. Ano passado, a Faz Live (ganhou a licitação). De quem é? Da esposa de Bruno Rego e do funcionário dele. Ou seja, ele mesmo mandava no São João. Esse ano novamente a Opara, que é do grupo de Abdon, ganhou. Já existe a denúncia no Ministério Público. Já foram feitas. É um São João equivocado”, afirmou o vereador.

Assista:

PALAVRA DE MULHER – 19-06-2019

Posted by Preto no Branco on Wednesday, June 19, 2019

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.