Selecionados

Ofício de Fateira por Álamo Pimentel

  O trabalho humano transforma a natureza ao mesmo tempo em que transforma, produz e expande diferentes expressões da nossa humanidade. Na semana em que Juazeiro comemora os seus 138 anos de emancipação política, elegi o ofício das fateiras como símbolo da cidade que me ensinou a ver o mundo com um pé no Rio São Francisco e o outro na Caatinga. As fateiras constituem um grupo social cada vez ...

Ler mais »

“Não podemos mais tolerar o que dura” por Ivânia Freitas

A solidez dos fatos, dos atos, dos modos, das roupas, das músicas, dos gestos, dos afetos, das relações de trabalho, das organizações, das propostas, das indagações, das sensações, da palavra. Tudo que pode durar parece ser hoje descartável, evitado, temido. A opção tem sido pelo que Bauman chama de ‘liquidez’ dos tempos. O tempo onde tudo é rápido, não resiste mais do que poucos segundos, poucas horas, poucos dias, poucos ...

Ler mais »

Rebeldias Criativas por Álamo Pimentel

  A ocupação dos espaços públicos na defesa de direitos sociais na história mais recente do nosso país produz a expansão de rebeldias criativas. A contestação das estruturas de dominação socioeconômica e a produção de subjetividades coletivas capazes de compor novos arranjos sociais para uma vida pública mais democrática e mais justa conferem múltiplos tons, discursos e performances a uma série histórica de acontecimentos que marcam a nossa entrada no ...

Ler mais »

‘Escola sem partido’ e cadeia para pobre por Ivânia Freitas

  Em tempos de golpe nada mais surpreende, embora assuste. O que consolida o golpe é a postura da sociedade quanto à sua aceitação e internalização das medidas que nele se consolidam, mesmo que a contragosto. O golpe em curso no Brasil não é simplesmente a tomada do cargo da presidenta Dilma, é sobretudo, o desmonte dos direitos e a abertura de caminhos que não apenas colocam em risco o ...

Ler mais »

...

É golpe! Há um caminho? por Ivânia Freitas

“O senhor poderia me dizer, por favor, qual o caminho que devo tomar para sair daqui? ” “Isso depende muito de para onde você quer ir”, respondeu o Gato. “Não me importo muito para onde”, retrucou Alice. “Então não importa o caminho que você escolha”, disse o Gato. “Contanto que dê em algum lugar”, Alice completou. ” (Alice no país das maravilhas – Lewis Carroll) Depois daquele domingo (em abril) ...

Ler mais »

...

A distorção da “coisa pública e o oportunismo das elites” por Jota Menezes

É uma herança colonial do patriarcado: Desde 1500, persevera no Brasil uma cultura perniciosa dos “donos do poder” se apropriarem dos bens públicos, como se o patrimônio lhes pertencessem por autorização divina, como faziam os reis absolutistas do século XVIII. Do alto de seus tronos, com ombreiras erguidas e peitos de pombo, bradavam o que bem queriam e tomavam decisões, muitas delas as mais absurdas, apenas para satisfazer seus egos ...

Ler mais »

...

A crítica e a ofensa- Por Álamo Pimentel

Por: Álamo Pimentel A crise política do nosso tempo agravou a dificuldade que boa parte da sociedade brasileira possui em distinguir a crítica da ofensa. Enfrentamos os excessos de opinião com escassez de reflexão. Terrível dilema para o desafio histórico da superação de velhas contradições. A crítica exige abstração, cobra daquele que a pratica: distanciamento dos fatos, argumentos sólidos, postura ética e compromisso com a sociedade em que vive. A ...

Ler mais »

...

“Pra ter animação na festa São João só presta puxando fogo.” por Rodrigo Wanderley

No dia 23 de junho de algum ano na década de 40 uma cena chamou atenção daqueles que passavam nas ruas próximas a Catedral de Senhor do Bonfim, piemonte norte do Itapicuru, estado da Bahia, um Padre de batina lançava objetos luminosos em direção a um tal jogador de futebol. Era padre Francisco que molhava sua batina e ia brincar com suas espadas contra Pedro Amorim (jogador do Fluminense do ...

Ler mais »

...

O Governo Interino de Temer: a serviço de quem e contra quem? por Ivânia Freitas

Pasmei (ainda que não fosse surpresa) ao ouvir Henrique Meireles (ministro da fazenda) justificar que, para ‘equilibrar’ as contas públicas, o governo Temer vai reduzir recursos da saúde e da educação através de um teto (ou seja, o máximo que se pode gastar). Para ele (o governo), o que chamamos de investimento, é gasto/despesa. Nessa lógica, paira a ameaça (e vai) mexer na previdência, no financiamento da casa própria (especialmente ...

Ler mais »

...

Mas por que Edinaldo Lima? Será que é o certo? por Célia Regina Carvalho

Estava divagando sobre os acontecimentos desses últimos dias e o que ocupou minha cabeça fortemente foi uma pergunta que me fizeram em um bate papo na casa de um amigo. Ele me perguntou qual era o perfil ideal de uma pessoa para administrar uma cidade. Por ser professora, eu respondi que, particularmente, prefiro líderes a dominadores. O perfil ideal para se administrar uma cidade, cuja essência deverá ser o “equilíbrio ...

Ler mais »

...