Presidente nacional do DEM, ACM Neto confirma expulsão de Sara Winter do partido

(foto: reprodução)

Prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM, ACM Neto confirmou, nesta terça-feira (2), com exclusividade ao BNews, que o partido vai pedir a expulsão da ativista bolsonarista de extrema-direita, Sara Winter.

O posicionamento de Neto segue a linha de outros membros da legenda, como o presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ), frequentemente atacado por grupos ligados ao presidente Jair Bolsonaro. Responsável por intermeditar a filiação de Sara Winter ao DEM, o deputado Sóstenes Cavalcante já havia admitido ao O Globo que sofria pressão interna pela expulsão da ativista, alvo do inquérito das fake news do Supremo Tribunal Federal (STF).

Entre os recentes episódios protagonizados por Sara Winter, que usa como pseudônimo o sobronome da espiã britânica nazista (Sarah Winter), estão as ameaças – inclusive de agressão física – ao ministro do STF Alexandre de Moraes, responsável por ordenar o mandato de busca e apreensão não só contra a militante, mas também contra outros deputados e apoiadores bolsonaristas.

Uma das lideranças do acampamento pró-Bolsonaro em Brasília, “300 pelo Brasil”, Sara comandou um ato em direção ao STF, com pessoas empunhando tochas de fogo e cobertas com máscaras brancas, semelhante aos protestos de grupos supremacistas brancos, como a Ku Klux Klan, nos Estados Unidos.

Sobre essa manifestação do último domingo (31), ACM Neto chegou a dizer que grupos radicais “flertam com Nazismo”, é inacreditável”, criticou o prefeito em coletiva virtual na segunda (1).

Sara Winter

Há menos de uma década, a ativista ficou conhecida por integrar o movimento feminista radical ucraniano, Femen. No entanto, desde 2015, deu uma guinada radical à extrema-direita. Em abril de 2019, Sara Winter foi nomeada como coordenadora nacional de políticas à maternidade do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, mas pediu exoneração em novembro.

Nesta segunda-feira (1°), a militante bolsonarista afirmou nas redes sociais que não cumprirá a ordem da Polícia Federal para prestar depoimento a respeito do inquérito do STF que apura um esquema criminoso de disseminação de fake news.

BNews

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.