Entenda para que servem e como funcionam os “ecopontos” instalados em Juazeiro

(foto: reprodução)

Atualmente, ao menos sete pontos da cidade de Juazeiro, no Norte da Bahia, possuem instalados os “ecopontos”, espaços regularizados para o descarte de resíduos sólidos que começaram a ser implantados em abril pelo Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) do município. A iniciativa, entretanto, ainda gera algumas dúvidas aos moradores da cidade no que diz respeito ao seu modo de funcionamento.

Os ecopontos são estruturas com três lados fechados e outro aberto, totalmente identificados, que dispõem, internamente, de duas caçambas estacionárias para receber os materiais. De acordo com o SAAE, podem ser descartados no ecopontos resíduos como restos de materiais de construção, poda de árvores, móveis antigos e outros tipos de materiais que não sejam o lixo domiciliar.

Para instalação das estruturas, foram definidas áreas estratégicas. Os bairros Angari e Santo Antônio foram os primeiros a receber os equipamentos, que também foram instalados no Maringá, João XXIII, Sol Levante e no contorno entre o Novo Encontro e o Alto do Cruzeiro, espaço citado pelo leitor Antônio Salles ao expor sua dúvida em contato com redação do PNB.

O objetivo, ainda segundo o órgão, é  fazer com que, principalmente os carroceiros, utilizem os equipamentos para descarte dos resíduos, evitando que esses materiais sejam despejados em áreas públicas e terrenos baldios. Os moradores podem depositar os resíduos no referido local e, as equipes do SAAE ficam responsáveis pelo recolhimento, diariamente, no final da tarde, para evitar acumulo.

De acordo com o SAAE, cerca de 30 toneladas de entulhos deixam de ser jogadas indevidamente nos terrenos baldios. O material sólido, como resto de construção, será usado para aterrar áreas degradadas, já os outros tipos de resíduos são encaminhados para o aterro sanitário.

A implantação do “ecoponto” também está prevista nos bairros João Paulo II, Rotatória de Piranga (ao lado da linha férrea), São Geraldo, Rodovia Salitre e Dom José Rodrigues. O SAAE não informou o valor do investimento do programa.

Da Redação por Thiago Santos

1 comentário

  • Luciano Santos disse:

    O bairro Jardim Flórida, também está precisando de um pois aqui na rua 4 tem um terreno que serve como depósito de lixo,entulho. A área é residencial. Já solicitei a limpeza à prefeitura /saae ,pelos canais de comunicação disponibilizados pelos órgãos mas nunca fomos atendidos .Nem se quer deram uma satisfação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.