“Contra as ideias das forças, a forças das ideias”: Mandato Coletivo realiza live pelo Centenário de Florestan Fernandes nesta quarta-feira (22)

O convidado desta edição do programa Chame Gente é o professor e ex-reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Roberto Leher

Esta edição do programa Chame Gente comemora o centenário do nascimento de Florestan Fernandes (1920-1995), um dos mais emblemáticos sociólogos brasileiros, e conta com a participação de Roberto Leher – ex-reitor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e professor colaborador da Escola Nacional Florestan Fernandes. O programa, apresentado pelo vereador Gilmar Santos (PT), será transmitido amanhã (22) às 10:30h no Instagramfacebook YouTube do Mandato.

Com mais de 50 obras e quase dez anos de carreira política como deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores (1986-1994), Florestan Fernandes contribuiu de maneira significativa para a construção do pensamento social crítico no Brasil, dedicando-se a construir uma análise do Brasil abertamente comprometida com a mudança social. Em seu amplo conjunto de obras, Florestan dedicou-se ao estudo etnológico dos índios Tupinambá, dos resquícios da escravidão, do racismo, da luta de classes e da pobreza na sociedade brasileira.

Uma das principais lutas de Florestan foi pela manutenção, ampliação e democratização do ensino público, entendendo a democracia como liberdade de educar e direito irrestrito de estudar, atuando contra as pretensões das redes privadas de ensino. Quando deputado, participou ativamente da discussão, elaboração e tramitação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que só seria aprovada em 1996, um ano depois de sua morte.

Florestan acreditava que a educação deveria ser uma experiência transformadora que desenvolvesse criatividade aos alunos e alunas, dando condições de se libertar da opressão social, e para isso, as escolas deveriam se desprender dos mecanismos de dominação de classe da sociedade, responsável pelo aprofundamento das desigualdades sociais e consequentemente do racismo.

De acordo com Gilmar, em cenário de barbárie e de desmonte da educação pública pelo atual (des) governo, é mais que necessário relembrar o legado de Florestan e o seu esforço na construção de um pensamento sociológico brasileiro, que vai além das teorias propagadas pelas classes dominantes que perduram até os dias atuais.

“Celebrar o centenário de nascimento de Florestan Fernandes é celebrar a história de um brasileiro profundamente comprometido com a construção de um país efetivamente socialista, democrático, dedicado a ciência, ao pensamento crítico, à emancipação e ao desenvolvimento do seu povo. Florestan foi um pensador revolucionário, e isso deve nos de inspiração, principalmente em tempos de ignorância tão hedionda e desigualdades tão violentas. Somente o pensamento crítico e a força militante pode nos conduzir a uma mudança, e nesse sentido Florestan é um grande exemplo. Queremos enfatizar ainda mais essas contribuições do grande mestre nesse bate-papo que faremos com o renomado professor Roberto Leher, que gentilmente aceitou o nosso convite”, disse o parlamentar.

 

 

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.