Denúncia sobre acesso do ponto das barquinhas: prefeitura diz que obra do Parque Fluvial “prioriza acessibilidade e mobilidade” e cita construção de terminal hidroviário

A Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR) da Prefeitura de Juazeiro, no Norte da Bahia, se manifestou sobre a denúncia publicada pelo PNB ontem (18) em relação ao ponto das barquinhas que fazem a travessia entre a cidade baiana e Petrolina-(PE). Os usuários do serviço reclamam do acesso às embarcações no lado de Juazeiro.

No local, uma escada de pedra, que servia de acesso, foi arrastada pela água e até o momento, o poder público não fez a recolocação da estrutura. A escada, era um improviso, que longe de ser a forma de acesso ideal, “quebrava um galho”.

“Não existe nenhuma rampa para os passageiros que pegam e saem das barcas. O batente é alto e quem tem algum problema de mobilidade, idosos, por exemplos, correm risco de cair. Já presenciei muitas quedas, tanto na hora de descer para pegar a barca, quanto na subida, que é muito alta. Pessoas com deficiência não podem pegar a barquinha, por falta de acessibilidade mínima. Seria pedir demais fazer um acesso digno aqui?”, questionou o usuário João Medeiros (leia na íntegra).

(fotos: PNB)

Em nota, a SEDUR informou que é ciente da situação pontuada e que a obra de construção do Parque Fluvial contempla a construção do terminal hidroviário “que irá oferecer toda a estrutura necessária para os cidadãos que utilizam as barquinhas como transporte para o deslocamento até a cidade de Petrolina”.

A secretaria disse ainda que no momento, está em execução a construção dos quiosques padronizados e que em seguida será iniciada a adequação do atracadouro náutico para a área dos caiaques e finalizando a obra será construído o terminal hidroviário.

“Em tempo a SEDUR esclarece que toda a obra do Parque Fluvial vem prezando pela mobilidade e acessibilidade uma vez que já adequou a rampa de acesso ao Parque na área que compreende o embarque e desembarque de passageiros, adequando para o uso de portadores de deficiência, implantou piso tátil, entre outras ações”, diz a nota enviada ao PNB.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.