Exposição registra universo poético das escritas urbanas através do graffiti

(foto: divulgação)

As ruas, os quiosques, praças estão repletos de fragmentos de textos, escritas e imagens que trazem manifestações de desejo, amor, desamores, afetos. A partir do processo de investigação dessas escritas urbanas, o artista e estudante de Artes Visuais da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), Netão Ribeiro, lançou nesta segunda-feira a exposição Afetos, que recria, por meio da arte do graffiti, registros de sentimentos e expressões produzidos por anônimos e pessoas comuns nos quiosques do Parque Josefa Coelho.

Composta por cinco obras, a exposição reconstitui o imaginário poético e a força dos afetos e os colocam expostos no lugar especial: a parede da parte externa da escola Otacílio Nunes de Souza, localizada no bairro Areia Branca, Petrolina. Quem transita pela rua dos Jasmins, pode adentrar no universo de sonhos,imaginação, cores e se reconhecer nas imagens. Para a artista visual Lys Valentim, a exposição permite romper com comportamentos que impõem limites para expressar afetos em razão de um modelo de masculinidade dominante.

Segundo o artista Netão Ribeiro, a exposição expõe a potencialidade de investigar as escritas urbanas como trabalho de conclusão do curso de Artes Visuais e permite explorar o graffiti, termo italiano para designar os desenhos colocados em locais públicos, muros, paredes, como linguagem artística. O espaço público, a rua, foi escolhido propositalmente, para demonstrar que a arte pode ocupar todos os espaços, e não apenas os museus e galerias, favorecendo o acesso e o consumo de expressões culturais e artísticas.

A escolha da escola também demonstra como o grafitti dialoga com os processos educativos, para romper com visões equivocadas e preconceitos que associar a linguagem ao vandalismo, depredação. “É importante trazer para o ambiente escolar a discussão de que o grafitti pode também ser usado como linguagem artística”, afirma.

Nesse momento de Pandemia da Covid-19, no qual as pessoas devem cumprir o distanciamento social, a exposição ocupa o espaço virtual do instagram @exposicaoafetos. Na plataforma, o artista traz imagens das obras, poemas e vídeos que retratam o processo produtivo. Quem quiser conhecer a exposição, é só se dirigir a Rua dos Jasmins, na Escola Otacílio Nunes de Souza, bairro Areia Branca, e apreciar a manifestação artística ao ar livre. É a arte desafiando os limites dos espaços físicos e demonstrando que, mesmo com a pandemia, há diversas formas de interação e de expor afetos.

* por Redação MultiCiência

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.