Irregularidade: Petrolina está entre os municípios de Pernambuco com maior número de servidores municipais e estaduais que receberam auxílio emergencial

(Foto ilustrativa)

O município de Petrolina, no Sertão pernambucano, está entre as cidades do Estado com o maior número de servidores municipais e estaduais que receberam o auxílio emergencial, mesmo sem ter direto ao benefício. A informação foi divulgada pelo Ministério Público de Pernambuco.

De acordo com um levantamento feito pelo  Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e o Núcleo de Inteligência (Nimppe), órgãos do MPPE, em 155 municípios pernambucanos, pelo menos um servidor recebe auxílio emergencial.

Ainda segundo as investigações, ao todo, 14.170 servidores (ativos e inativos), com vínculos municipal ou estadual, e que integravam a folha de pagamento do poder público em abril de 2020, receberam o auxílio emergencial de forma irregular. Estima-se que o pagamento indevido do auxílio teria chegado a um montante de R$ 9.965.400,00.

Os dados serão enviados os promotores de Justiça dos municípios em que foram identificados as irregularidade, para o aprofundamento das investigações sobre a possível fraude.

“A partir de notícias recebidas sobre a possibilidade de existência de servidores receberem indevidamente o auxílio emergencial, o Gaeco e o Nimppe partiram para um levantamento e um cruzamento de dados a fim de aferir as denúncias. Ainda é um levantamento preambular, que será disponibilizado aos promotores de Justiça de cada município para que deem continuidade às apurações, sempre com auxílio do Gaeco e do Nimppe”, afirmou o membro do Gaeco, o promotor de Justiça George Diógenes Pessoa.

O MPPE, entretanto, alerta que as pessoas identificadas podem ter sido vítimas de fraudadores, que usaram seus dados. “Há um indício de fraude, quer seja por parte do servidor ou de alguém que usou indevidamente os dados dele”, salientou George Diogenes Pessoa.

*Com informações do MPPE

 

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.